Ela teria sido uma das pessoas responsáveis pela fiscalização da Escola João Sperandio, que pode cair a qualquer momento

O presidente da CPI das Escolas, vereador Lucínio Leônidas Gre-bos (PR), solicitou na semana passada a prorrogação dos trabalhos da Comissão por mais noventa dias. A previsão agora é que o relatório final seja concluído em outubro próximo. A Comissão foi instaurada para investigar possíveis irregularidades em construções e reformas de várias escolas durante a gestão do ex-prefeito, Albanor José Ferreira Gomes (PSDB), sendo que o principal alvo das investigações são as obras na Escola Municipal João Sperandio, que pode cair a qualquer momento.

Até agora duas pessoas já foram ouvidas. O primeiro foi o atual secretário de Obras, Conrado Faria de Albuquerque. Em seguida, foi ouvido o engenheiro responsável pela fiscalização das obras na Escola João Sperandio, Fabiano Melo dos Santos, que tentou se livrar da culpa dizendo que, embora fosse ele quem assinava as medições dos trabalhos executados pela empreiteira responsável pela construção da escola, os serviços de fiscalização e acompanhamento da obra era feito pela empresa PJJ Malucelli, que havia designado a engenheira Ivana Alvares Sales para acompanhar os trabalhos.

Diante da declaração de Fabiano, o presidente da CPI convocou a engenheira para prestar esclarecimentos. O depoimento estava marcado para quarta-feira passada, dia 27, mas ela não deu as caras.

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores, Esmael Padilha, duas notificações foram feitas e Ivana nem justificativa para o seu não comparecimento apresentou. Diante disso, esta semana, Esmael, amparado pela legislação vigente, encaminhou a juíza da Vara Criminal de Araucária, Maria Cristina Franco Chaves, ofício solicitando que ela intime a engenheira à comparecer à CPI. “Assim que o Poder Judiciário marcar a data do depoimento da engenheira, nós convocamos uma sessão da CPI”, garantiu o presidente da Câmara.

Ela virou CC
Poucas pessoas no município já ouviram falar nesta tal de Ivana Sales. Segundo levantou nossa reportagem, ela era contratada da PJJ Malucelli e fiscalizou as obras da Escola João Sperandio. Não se sabe porque, logo que as obras na “escola condenada” terminaram, Ivana foi convidada a trabalhar na Secretaria de Obras Pública como cargo em comissão. Ficou por lá até novembro de 2006, quando foi exonerada.

A engenheira era considerada da “cota” de CCs indicados pelo vice-prefeito, Clodoaldo Pinto Jr. (PDT) e foi demitida quando este rompeu com o prefeito Olizandro, que por conta deste litígio fez uma limpa nos comissionados indicados pelo vice. Desde então, Ivana não teria sido mais vista em Araucária.

Problemas
A negativa em atender de forma espontânea ao convite da CPI das Escolas pode complicar a situação da engenheira, que corre o risco, inclusive, de ser presa, caso não atenda também a convocação da juíza da Vara Criminal. Vamos esperar pra ver.

VEJA TAMBÉM

Caminho certo

É fato que a língua do povo sempre foi afiada e impiedosa. Os juízes da vida dos outros de plantão se adiantam em ser investigadores,

Compartilhe