Além de não fazer mal à saúde, os alimentos orgânicos têm maior valor de mercado Em Araucária 12 produtores rurais estão colhendo a primeira safra de batata orgânica do município. A previsão da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento de Araucária (SMAG) é colher 9 toneladas de batata orgânica, cultivada apenas com a Calda Bordalesa, um fertilizante não prejudicial à saúde.

Uma parceria entre a Prefeitura de Araucária e o Iapar – Instituto Agronômico do Paraná, possibilitou a pesquisa e o desenvolvimento de uma nova variedade de batata, chamada de Cristina, que se adapta bem às condições climáticas da região. “Os técnicos do Iapar vêm trabalhando com a batata Cristina desde 2002 e com o trabalho de divulgação e conscientização dos produtores pelo nosso Departamento de Agricultura Orgânica, conseguimos sensibilizá-los para investirem nesse setor, que deve crescer cada vez mais”, explica o secretário de Agricultura e Abastecimento de Araucária, João Batista Marinho.

Esta é uma das prioridades da administração do prefeito Olizandro José Ferreira para os próximos anos. “Com a construção do Mercado Municipal de Araucária precisamos conscientizar o agricultor sobre a importância da produção orgânica, pois além de obter maior lucro em comparação com os alimentos convencionais o produtor rural contribuirá com a saúde da população e com o meio ambiente”, destaca o prefeito Olizandro.

“Com a batata semi-orgânica o produtor gasta mais com mão-de-obra, mas o lucro pode atingir R$ 15,00 por saco, e com a batata convencional o produtor acaba nem obtendo lucro”, compara o secretário Marinho.

Em 2006 a prefeitura distribuiu 20 sacos de sementes de batata aos pequenos produtores rurais inscritos no Programa Agricultura Orgânica e este ano eles devem devolver dois sacos, que serão encaminhados a outros produtores interessados no projeto.

Os interessados em adquirir a batata orgânica devem entrar em contato com o Departamento de Agricultura Orgânica da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento de Araucária (SMAG) pelo fone 3901-5084.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe