Araucária PR, , 21°C

Bando tenta roubar caixa eletrônico

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Bando tenta roubar caixa eletrônico
Bandidos fugiram às pressas, abandonando equipamentos

Seis integrantes de uma quadrilha tentaram roubar o dinheiro que estava em um caixa eletrônico de uma agência bancária – localizada na Avenida das Araucárias, ao lado da sede da Associação das Empresas da Cidade Industrial de Araucária (AECIAR), no Bairro Thomaz Coelho. Conforme policiais militares da 2ª Companhia do 17º Batalhão o crime aconteceu por volta de 2h50 de segunda-feira, dia 4. Assim que receberam a informação de que o local estava sendo arrombado, imediatamente, eles se deslocaram para lá. Contudo, ao chegarem, souberam que o grupo havia fugido às pressas em um carro Fiesta de cor prateada, deixando para trás equipamentos e ferramentas.

Quando os PMs adentraram a agência, sentiram um forte cheiro de gás e encontraram abandonados um botijão de gás de cozinha, um cilindro de gás O2 e um maçarico – entre outros objetos que estavam sendo usados para cortar o painel do caixa eletrônico e alcançar o dinheiro mantido para eventuais saques de clientes. Os policiais isolaram a área de risco e desligaram o equipamento. Em seguida, acionaram a Polícia Criminal e a Polícia Civil. Na perícia, verificou-se que o caixa estava apenas parcialmente arrombado, não tendo sido levado dinheiro pela quadrilha.

Inquérito

De acordo com o titular da Delegacia, Rubens Recalcatti, uma equipe está investigando o crime, que pode ter sido cometido pelo mesmo grupo que levou cerca de R$40 mil de um caixa eletrônico de outra agência, no começo do mês passado, usando os mesmos meios. “É uma quadrilha especializada que nos últimos meses vem agindo em Curitiba e Região Metropolitana. Os envolvidos devem ser de Santa Catarina e de São Paulo, talvez, em parceria com bandidos da Capital”, diz o delegado. “Estamos mantendo contato com todas as agências, com o setor especializado da Polícia do Paraná e com a Polícia de Santa Catarina”, ele conta.

“Essas quadrilhas especializadas começaram agir em Joinville, há uma década, fizeram escola e o crime se espalhou por todo o Brasil. São grupos famosos, geralmente, formados por rapazes de classe média ou de classe média alta, que muitas vezes até parecem ser pessoas de bem, mas, na verdade, roubam para manterem a ostentação”, comenta Recalcatti. “No início, eles levavam o caixa inteiro, agora, se aperfeiçoaram e inovam usando diferentes técnicas. Lamentavelmente, os Bancos e a Polícia estão sempre a um passo atrás deles”, comenta o delegado.

Foto: Divulgação/Polícia Civil