Secretaria de Saúde diz que situação já está sendo normalizada. Hoje o próprio secretário vai dar expediente no Pronto Atendimento
Pacientes aguardando horas para serem atendidos. Crianças chorando. Mães desesperadas, com os filhos no colo aos prantos. Idosos implorando por uma consulta. Enfim, um caos. Esta foi a situação que se viu no pronto atendimento NIS 3 esta semana. O dia mais crítico foi na quarta-feira, dia 20, quando pacientes esperaram por quase nove horas por uma consulta.

Segundo informou o secretário de Saúde, Josué de Oliveira Kersten (PPS), corroboraram para o problema o período do ano, o aumento da população do município, os moradores de outros municípios que vêm se consultar em Araucária, o pedido de demissão de muitos médicos que trabalhavam na rede municipal de saúde e a impossibilidade legal da Prefeitura em repor estes médicos, uma vez que os gastos com a folha de pagamento estão acima do que recomenda e Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Nesta época do ano o número de atendimentos aumenta de 15 a 20%. Para se ter uma idéia, a média diária de atendimentos no NIS é 430 consultas, na quarta-feira este número subiu para 600”, explicou Josué.

Sobre a saída dos médicos ele disse que a Prefeitura já realizou concurso público para repor aqueles que pediram demissão. “Como o índice da folha de pagamento retrocedeu um pouco, convocamos 19 médicos para assumir suas vagas, mas eles devem começar a trabalhar somente na próximas semana ou na outra”, justificou.

Convênios
Josué acrescentou ainda que a Prefeitura estuda a possibilidade de firmar convênio com hospitais de grande porte da capital para dar apoio em casos mais graves e também cedendo médicos para atender no NIS. “Amanhã (hoje) mesmo vamos verificar as propostas dos hospitais Nossa Senhora das Graças e Evangélico”, adiantou. Uma outra possibilidade, segundo o secretário, é contratar médicos através de RPA, ou seja, como se eles fossem prestadores de serviços autônomos. “Vamos submeter esta possibilidade para análise do setor jurídico da Prefeitura, que verificará a legalidade desta medida”, comentou.

Plantão
Por último, Josué disse que hoje faltaria um médico para fechar a escala de trabalho do NIS, porém, ele mesmo atenderá os municípes. “A partir das 13h eu mesmo estarei no NIS atendendo”, finalizou.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe