Compartilhe esta notícia

Desde o início de agosto, funcionários da Controladoria Geral do Município (CGM) estão fiscalizando as instituições da rede municipal de ensino para verificar a gestão da merenda escolar e dos materiais de expediente e limpeza.

O objetivo das auditorias é analisar a qualidade da merenda e dos materiais que estão sendo disponibilizados aos nossos alunos e propiciar futuras melhorias. “A educação tem sido uma das prioridades da administração do prefeito Olizandro e nela está inserida a distribuição de merenda de qualidade para todos os nossos alunos”, explica o controlador geral do Município, Oilson Müller.

Ao todo, 68 unidades educacionais serão vistoriadas. Deste montante, 40 são escolas, 34 na área urbana e seis na rural, e 28 são centros municipais de Educação Infantil (Cmei’s). Em relação ao lanche servido aos nossos estudantes, os profissionais da CGM avaliam, entre outros itens, se a quantidade de merenda enviada a escola é suficiente; a aceitação por parte do aluno do lanche servido; se o cardápio elaborado pela nutricionista da Secretaria Municipal de Educação (SMED) está sendo seguido e se a estocagem dos alimentos é a adequada.

Quanto aos materiais de expediente e limpeza, são avaliados a qualidade dos produtos comprados pela SMED, a quantidade disponibilizada à cada escola e/ou Cmei e também se estes materiais estão sendo usados de forma racional.

“O objetivo da Controladoria com estas auditorias é verificar se o dinheiro público está sendo bem aplicado e, quando dizemos bem aplicado, não estamos nos referindo somente ao modo como a merenda e os materiais de limpeza e expediente estão sendo consumidos. Estamos falando também de como estão sendo adquiridos.

Através destas vistorias ‘in loco’ da CGM estamos tendo a oportunidade de conversar com as pessoas que utilizam estes materiais e que preparam a merenda. São zeladoras, cozinheiras e auxiliares administrativos que estão nos repassando as dificuldades e vantagens em trabalhar com determinados produtos.

Assim, estamos podendo avaliar quais produtos têm qualidade e quais não têm”, disserta Muller. Através das conversas com os funcionários de cada instituição, a Controladoria também procura identificar o modo como a merenda escolar é manipulada e os materiais utilizados.

Andamento
Até agora já foram visitadas pelos servidores da Controladoria dez escolas, sendo que cada visita gera um relatório, que será encaminhado à SMED e ao prefeito Olizandro José Ferreira. “Embora ainda faltem mais de cinqüenta instituições a serem visitadas, até o momento ainda não foram identificados maiores problemas com a merenda escolar.

Com relação aos materiais de expediente e de limpeza, as escolas e Cmeis têm reclamado da qualidade de alguns produtos”, comenta o controlador.

Entre os materiais de limpeza que mais têm gerado reclamação estão a cera em pasta, o sabão em pó e o detergente líquido. Por sua vez, os materiais de expediente que mais estão recebendo reclamação são o giz para quadro negro, cola branca, lápis preto e a tinta guache. A idéia da Controladoria é, embasada nestas reclamações, tentar evitar que a Prefeitura volte a comprar estas marcas de produtos em novas licitações.

Parceiros
As auditorias nas escolas e Cmeis seguem até o final deste ano e a CGM tem como parceira no projeto a Secretaria de Educação.

Compartilhe esta notícia