Projeto da Secretaria de Administração foi aprovado pela Copel, que repassou mais de R$ 300 mil ao município

A Prefeitura de Araucária iniciou esta semana a substituição de cerca de oito mil lâmpadas de 15 prédios públicos municipais. A troca é resultado de uma parceria com a Companhia Paranaense de Energia (Copel), que destina 0,5% de seu lucro líquido para serem investidos em programas de eficientização de energia elétrica.

Através deste programa, a Secretaria de Administração (SMAD) encaminhou no ano de 2005 um projeto à Copel solicitando recursos para troca das atuais lâmpadas por outras mais econômicas. A proposta apresentada pela Prefeitura foi aprovada pela Copel, que liberou cerca de R$ 320 mil para aquisição de cerca de oito mil lâmpadas, reatores para as luminárias e toda a mão-de-obra utilizada no serviço.

“Com os recursos autorizados, realizamos uma licitação para aquisição dos materiais e contratação da empresa para prestação dos serviços e agora os trabalhos já começaram a ser realizados”, comenta, satisfeito, o secretário de Administração, Mário Celso Torres. Ainda segundo o secretário, as novas lâmpadas são cerca de 20% mais econômicas do que as antigas e o índice de luminosidade delas é muito maior. “Ou seja, além delas consumirem menos energia ainda clareiam muito mais”, explica.

Os prédios públicos que serão beneficiados são a Prefeitura, o pronto atendimento NIS III, a Secretaria de Meio Ambiente e outras doze escolas.

Mais economia
Como se não bastasse ter economizado o dinheiro do município, a Prefeitura de Araucária também deu exemplo ao escolher a modalidade de licitação pregão na hora de adquirir os materiais e contratar a empresa que esta fazendo a troca das lâmpadas. Para se ter uma idéia, inicialmente, as planilhas de custo com o projeto de eficientização ficou em torno de R$ 320 mil e esta foi a quantia liberada pela Copel.

Porém, este montante caiu para R$ 128 mil depois da realização do pregão. “Fizemos um procedimento sério, e isto resultou numa economia de mais da metade do valor liberado”, salientou o secretário, acrescentando que a diferença entre a quantia liberada e a efetivamente gasta terá que ser devolvida a Copel.

“Essa diferença eles terão que investir em outros programas de melhorias no consumo de energia, talvez em outros municípios e, quem sabe, até mesmo em Araucária”, complementou o secretário, já adiantando que a SMAD está preparando um outro projeto de eficientização de energia para encaminhar à estatal de energia paranaense.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe