Diante da repercussão gerada pela notícia de que os mandatos dos diretores das escolas municipais seria prorrogado até dezembro de 2008, um ano a mais do que prevê a lei atualmente, a Secretaria Municipal de Educação (SMED) decidiu consultar os conselhos escolares de cada escola municipal sobre o assunto em uma reunião realizada na noite da última quinta-feira, dia 2, na sala Tarsila do Amaral. “Como esta decisão afeta diretamente as escolas, nada mais justo e democrático do que consultar os conselhos escolares sobre o assunto”, ensinou a secretária de Educação, Ivana Chemello Opis.

Para colocar um ponto final nas discussões, a SMED solicitou que todos os conselhos escolares votassem a favor ou contra a prorrogação das eleições. Na primeira votação, que foi secreta, por 22 a 20, venceu os favoráveis pela prorrogação do mandato.

Porém, os presentes questionaram o fato da eleição ser realizada de forma secreta. Decidiu-se então realizar novamente a votação, só que com cada representante de conselho declarando seu voto de forma audível. E, desta vez, sabe-se lá porque, o resultado se inverteu e os contrários à prorrogação venceram por 28 à 11.

Ninguém protestou. Resolvida a pendenga. Ficou decidido: não haverá prorrogação de mandato e teremos novas eleições para diretores de escola já em outubro próximo.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe