Lincoln, o homem forte de Zezé na Câmara

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Lincoln, o homem forte de Zezé na Câmara
Lincoln, de costas. Esta semana ele foi chamado de 12º vereador

O secretário de Governo, João Lincoln Ferreira Gomes (PSDB), sempre foi considerado o fiel escudeiro de seu irmão, o prefeito Albanor José Ferreira Gomes (PSDB). Estrategicamente colocado no comando da SMGO, ninguém fala com Zezé sem antes falar com Lincoln. Se a Prefeitura fosse um seriado policial americano, e os irmãos fossem tiras, poderíamos dizer que Lincoln faria o papel do policial malvado e Zezé do policial bonzinho. Lincoln é o responsável por dizer os “não” que seu irmão está impedido de falar para não perder a imagem de bom moço que muitos cultivam dele.

No entanto, nesta legislatura, o irmão de Zezé anda aparecendo mais do que seria o recomendado para alguém com suas atribuições. No início do ano passado, por exemplo, veio a público a notícia da condenação de Lincoln a mais de dez anos de cadeia em regime fechado por crimes do colarinho branco. Como a decisão foi em primeira instância, ele recorreu e agora aguarda nova decisão. Mesmo assim, a notícia da condenação gerou um tremendo desgaste para o prefeito, mas ele optou por manter o mano no cargo e assumiu os riscos.

Lincoln é figura repetida nas sessões da Câmara. Ele sempre senta na primeira fileira de cadeiras do plenário. Seu lugar preferido é a décima poltrona. Ali, ele acomoda-se meio que de lado, joga a perna esquerda sobre a direita e fita atentamente o que os vereadores dizem. Seu assento propicia uma visão privilegiada de todos os edis, em especial do presidente da Casa, que fica praticamente na mesma direção de onde o “poderoso” Lincoln está sentado.

Na sessão de terça-feira, dia 23, o secretário de Governo foi apontado por um grupo de vereadores, incluindo o líder de Zezé na Câmara, de ser o responsável pelas articulações que resultaram na troca do comando das comissões permanentes da Câmara. Tamanha acusação de ingerência no Poder Legislativo não é nada salutar para a Prefeitura. Clodoaldo, por exemplo, disse que não é de hoje que Lincoln vinha lhe dizendo que era preciso trocar alguns dos integrantes da Comissão de Finanças e Orçamento (CFO), porque estes faziam questionamentos demais sobre os projetos da Prefeitura. Esmael Padilha, por sua vez, foi além: disse que Lincoln é o 12º vereador e que ele atua como presidente da Câmara.

Resposta

Sobre as insinuações feitas durante a última sessão a respeito de uma suposta interferência do secretário de Governo na escolha das comissões, a assessoria de comunicação da Prefeitura negou veementemente o fato. Segundo eles, Lincoln acompanhou a votação, que era aberta ao público, com o intuito único de manter o bom relacionamento entre os poderes Executivo e Legislativo.

Foto: Waldiclei Barboza