Menor assassinado com tiro na nuca

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Um adolescente de 16 anos estava com um amigo na Rua Xingu, no Jardim Bela Vista, no Bairro Iguaçu, na madrugada de sábado, dia 20. Um carro passou pelo local, com um passageiro atirando contra os dois, e uma das balas acertou o menor na região da nuca. Por volta das 2h50, socorristas do Siate prestaram atendimento pré-hospitalar ao garoto e o encaminharam para receber cuidados médicos no Pronto Socorro do NIS III. Contudo, ele estava gravemente ferido e entrou em óbito aproximadamente às 6h.

Vítima?

Conforme o titular da Delegacia de Polícia Civil, Rubens Recalcatti, enquanto os socorristas tiravam a roupa do adolescente para verificar se ele havia sido ferido em outras partes do corpo, encontraram um coldre de tornozelo atado à perna dele, guardando um revólver de calibre 38 – que, possivelmente, o menor não teve tempo de sacar para reagir. Mas a localização da arma não causou espanto para o delegado.

Também segundo Recalcatti, há algum tempo, o adolescente vinha incomodando os moradores da região do Tupi e dando trabalho para a Polícia. “Ele era acusado de praticar roubos diversos rotineiramente com outros menores. Tanto que já estávamos com procedimentos encaminhados para a apreensão dele”, comenta o delegado. O garoto também era suspeito de participação no homicídio do comerciante Darvim Vieira da Rosa, 60 anos, em 30 de dezembro do ano passado.

Bandido!

Conforme apurado na época, o idoso estava sozinho na própria lanchonete, na Rua Rio de Janeiro, no Conjunto Manoel Bandeira, no Bairro Iguaçu. Dois garotos chegaram com uma bicicleta e entraram no estabelecimento. Vizinhos ouviram uma discussão, ruídos de luta corporal e gritos do comerciante dizendo “parem com isso!”. A dupla não parou e o esfaqueou nas costas e no ombro. Darwim recebeu socorro do Siate e foi levado para o Hospital Municipal de Araucária (HMA), mas não resistiu.

Para o delegado, o assassinato do adolescente pode ter sido motivado pelos roubos que ele praticava na região ou por desavenças com outros menores também envolvidos em crimes.