Menor assume crime de Carioca

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Menor assume crime de Carioca
Carioca foi assassinado com três tiros pelo menor, em seguida mocó foi queimado

O crime que tirou a vida de Tiago “Carioca” foi solucionado pela Polícia Civil de Araucária. Na tarde de quinta-feira, 20, os policiais apresentaram o menor, de 16 anos, que assumiu a autoria do crime. Conforme contou o delegado Haroldo Davison, o garoto afirmou que assassinou Tiago por motivos fúteis: “Eles estavam fazendo uma festinha com muita bebida e drogas. Esse adolescente esteve no local e disse que conhecia as pessoas. De acordo com o autor, por conta dos entorpecentes e de seus efeitos, ele achou, em certo momento, que Tiago era perigoso e que poderia tirar sua vida e, antes que isso acontecesse, ele o matou”, explicou.

O garoto foi encontrado através de familiares e testemunhas que afirmavam que o autor tinha uma grande cicatriz no pescoço. Ele foi intimado e se entregou na Delegacia de Araucária. Nesse momento, também foi reconhecido por uma vítima de um assalto em um estabelecimento comercial em Curitiba, que o encontrou vestindo uma camiseta que foi roubada.
 

Menor assume crime de Carioca
Dr. Haroldo Davison explicou como chegaram até o autor do crime

Crime
Na madrugada de quinta-feira, 06, perto das 02h17, o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a uma residência que foi tomada por fogo. Chegando à Rua Ana Dranka Druszcz, no Jardim Iguatemi, as viaturas encontraram a residência de dois cômodos, localizada em área de invasão, já inteiramente destruída pelo incêndio. Na varredura pelo local, os bombeiros acharam um corpo caído ao lado da casa e ferido com três disparos.

De acordo com o Dr. Haroldo, até onde se sabe, sete pessoas estavam fazendo uma festinha na residência usada como mocó para consumo de drogas: quatro mulheres e três homens. De acordo com ele, todos foram identificados e ouvidos, afirmando que o menor foi realmente o autor do homicídio. Quanto ao incêndio do mocó, fato extremamente relevante nesse crime, a Polícia afirmou não saber a procedência: “Ele não assumiu o incêndio. Talvez tenham sido os companheiros que estavam na festaou até mesmo vizinhos que estavam cansados das festas e encontros naquele lugar”, explanou o delegado sem muita certeza. De acordo com ele o crime não tem envolvimento algum com os outros assassinatos que aconteceram em dias próximos. O menor não quis conversar com a imprensa e está na Delegacia de Araucária aguardando procedência da justiça.