Olizandro vai reduzir número de secretarias

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Olizandro vai reduzir número de secretarias
Olizandro afirmou que quer deixar a estrutura da PMA mais enxuta

O prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) sacramentou esta semana os últimos detalhes da primeira reestruturação administrativa da história da Prefeitura que não implicará em aumento de secretarias. Muito pelo contrário! Elas serão reduzidas. O projeto de lei prevendo as alterações, de acordo com o chefe do executivo municipal, será encaminhado à Câmara de Vereadores já no início da próxima semana com um pedido de urgência em sua aprovação.

Na administração direta, o projeto de lei que será encaminhado à Câmara prevê a unificação das secretarias de Meio Ambiente e Agricultura e também das pastas de Cultura e Esporte. Do mesmo modo, a Secretaria de Assistência Social absorverá as atribuições da Secretaria de Trabalho e Emprego. De cara, essas mudanças representam o fim de três cargos de secretário municipal, o que representará uma economia de quase R$ 400 mil só em salários pagos aos titulares dessas pastas.

Ainda conforme Olizandro, as mudanças foram feitas de modo a otimizar o trabalho dessas pastas e também diminuir as despesas fixas geradas por ela. Para tanto, a intenção é que a nova Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente concentre suas atividades no prédio onde hoje funciona somente a SMAG. Com isso, a Secretaria de Cultura e Esporte passará a funcionar no Parque Cachoeira, onde atualmente está instalada a Secretaria de Meio Ambiente. Já a Secretaria de Trabalho, que será absorvida pela Assistência Social, deve ser transferida para um prédio de propriedade do Município. “Além dos imóveis locados que vamos devolver aos proprietários, também reduziremos despesas com água, energia elétrica, telefone, carros e ainda poderemos aproveitar melhor muitos funcionários”, elencou.

Administração indireta
Além das mudanças na estrutura direta da Prefeitura, Olizandro também irá unificar as áreas de atuação de duas companhias da administração indireta: Codar e Cohab, que passará a se chamar Codhar (Companhia de Desenvolvimento e Habitação de Araucária). No papel, será a Cohab, que é uma empresa pública, quem vai absorver as atribuições da Codar, cuja natureza jurídica é de economia mista.

Essa unificação permitirá a manutenção dos atuais funcionários concursados da Cohab, dando uma estrutura efetiva para os trabalhos que até então vinham sendo tocados pela Codar. A nova companhia também deve absorver as atribuições de apoio ao turismo, que até então eram desempenhadas pela Secretaria de Cultura. Entre a economia direta que a junção deve representar está a diminuição de três diretores, que hoje ganham o mesmo salário de secretário, além de gastos com a locação de imóveis, energia elétrica, água, telefone e outras despesas de manutenção.