Sequestrador é morto pelo BOPE

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Sequestrador é morto pelo BOPE  Sequestrador é morto pelo BOPE
Polícia pediu reforço e cercou a região para negociar com Gilmar a liberação do refém

Depois de manter Henrique Rodrigues da Silva, de 27 anos, tio de sua ex-companheira, em cárcere privado por quase dez horas, Gilmar Banduri, 29 anos, acabou morto em confronto com o BOPE. O seqüestro começou perto das 19h30 de terça-feira, 18 de junho, em uma residência na Rua dos Gerânios, no Jardim Tupy, e só terminou quando, depois de diversas tentativas de negociação, o BOPE explodiu a parede da casa e entrou na residência salvando a vítima que não teve nenhum ferimento: “O BOPE resolveu invadir a casa para proteger a vida da vítima, o medo era que Gilmar o matasse e depois se suicidasse”, afirmou a Polícia Civil.

Sequestro
De acordo com informações repassadas na delegacia de Araucária, às 19h30 de terça-feira, Gilmar chegou na casa de Henrique procurando sua ex-mulher. Como não a encontrou, Gilmar ligou para ela exigindo sua presença: “Ela perguntou se ele estava armado e ele disse que sim. Ele pediu que ex-esposa fosse até lá, mas a mulher preferiu avisar a polícia”, explicou o escrivão. E logo completou: “quando a Polícia chegou, foi recebida com um disparo de Gilmar. Logo depois ele deu outro fazendo com que a Polícia pedisse reforço”.

Diante da situação, negociadores do BOPE foram chamados para dialogar com o sequestrador, mas ele fez uma série de exigência como a presença da imprensa, a da ex-mulher e fez barricadas nas portas e janelas para evitar a entrada dos policiais. Durante a madrugada, depois de certo tempo, Gilmar parou de conversar com a polícia, então, perto das 5h, a polícia resolveu invadir o local para garantir a vida da vítima. A parede da casa foi então explodida: “Não sabemos se houve troca de tiros, Gilmar estava com uma arma com capacidade para seis balas e tinham quatro deflagrados”, explicou a Polícia Civil. Gilmar Banduri foi atingidopor quatro tiros. A Polícia ainda tentou socorrê-lo, mas não foi possível.

Outro crime
Banduri também é apontado como autor de um homicídio ocorrido em Curitiba, na Rua Theodoro Makiolka, no dia 4 de junho. A vítima, Vilson Vargas, de 37 anos, trabalhava na construção civil, e foi morta dentro de um veículo Blazer. Após ter cometido o assassinato, Gilmarteria ligado para a ex-mulher relatando o crime e dizendo que ela seria a próxima. “Estamos investigando o que está por trás dessa história”, finalizou a Polícia.