Compartilhe esta notícia

“2015 será o ano da nossa redenção”, diz prefeito
Em seu gabinete, Olizandro afirmou também que pretende começar a preparar o terreno para a corrida eleitoral de 2016

Em meio a uma correria para conseguir acertar os últimos detalhes de um convênio com o Governo do Estado, que garantirá um repasse mensal de R$ 500 mil à Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), o prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) recebeu a reportagem de O Popular no meio da tarde de sexta-feira, 19 de dezembro. Numa conversa de pouco mais de uma hora, ele fez um balanço de sua gestão no ano de 2014. Ao contrário de entrevista semelhante que fizemos com ele em outra oportunidade, desta vez a palavra “crise” foi menos utilizada. Ela, porém, garante o prefeito, faz parte do dia a dia da Prefeitura e assim será por muitos anos ainda.


Olizandro também estava mais otimista do que em outras oportunidades, tanto é que definiu o ano que está por nascer como o da “redenção” de sua administração. Ele ressaltou ainda que iniciará em 2015 a preparação de seu grupo para as eleições municipais de 2016 e que nesse projeto não haverá espaço para aqueles que estão ao seu lado sem se declarar como tal. Abaixo, os principais trechos dessa conversa.

CRISE FINANCEIRA

Hoje, ainda estamos com uma arrecadação inferior a de 2013. Porém, a nossa despesa cresceu em torno de 8% quando comparado ao ano passado. Ou seja, a crise está presente e continuará presente. Teremos uma melhora na receita por conta desse pacotão do Beto Richa, que reajustou o IPVA e o imposto sobre combustíveis, também tivemos uma melhora na arrecadação do ISS. Mas tudo isso serve apenas para compensar o crescimento vegetativo das despesas.

MEDIDAS RADICAIS

Para o ano que vem, temos que diminuir – de qualquer forma – o custo do HMA. Do mesmo modo, precisamos rever o contrato do transporte coletivo. Já solicitei à Procuradoria Geral do Município (PGM) que faça um estudo sobre isso, pois o acordo em vigência estabelece pagamento por quilômetro rodado e não pela chamada tarifa técnica, como é em Curitiba. Tão logo tenha esse parecer da PGM, vamos ter que entrar numa negociação com as empresas que exploram o transporte coletivo na cidade.

Em 2015 também precisaremos negociar com outras esferas do Governo. No caso da Saúde, por exemplo, o Estado nos repassa R$ 70 mil por mês em razão do programa Mãe Paranaense. No entanto, o programa nos custa R$ 200 mil por mês. Isso porque mantemos cem por cento da maternidade de Contenda, e outra grande porcentagem das gestantes da Lapa, Mandirituba, Fazenda Rio Grande e outros municípios.

Fazendo isso, creio que conseguiremos encontrar um equilíbrio entre receita e despesa e com as parcerias com outras esferas de governo garantiremos novos investimentos para a cidade e assim 2015, se Deus quiser, será o ano da redenção da nossa administração.

HMA E ARMAZÉM DA FAMÍLIA

Esses foram dois problemas que não conseguimos resolver plenamente em 2014, mas se Deus quiser até o final do primeiro trimestre ambos estarão sanados. O HMA funciona hoje com cerca de 70% de sua capacidade e o Instituto que o administra atualmente garante que até fevereiro, ele volta a atender plenamente. No entanto, as informações que vem do HMA ainda não são boas. Nos últimos dias, por exemplo, o Instituto concluiu o inventário de equipamentos e nos informou que estão faltando muitas coisas lá. Materiais que teremos que comprar. Já com relação ao Armazém da Família, só agora no final do ano é que conseguimos avançar nas negociações com a Prefeitura de Curitiba e, se Deus quiser, agora em janeiro o novo convênio será firmado e em fevereiro, ele volta a funcionar.

SAÚDE

Hoje, o nosso maior problema na área da Saúde, sem dúvida, é a demora para que o cidadão consiga fazer um exame ou realize uma consulta com um médico especialista. Convivemos com essas filas há dez anos. Agora no início de 2015, no entanto, vamos lançar um programa cujo objetivo é zerar essas filas. E até para que esse projeto dê certo, precisamos que o HMA esteja funcionando plenamente, pois essas consultas com especialistas serão feitas via Hospital, que fará parcerias com clínicas da cidade.

CRECHES

As creches, ou melhor, os Cmeis, são outro grande desafio nosso. E, nesse caso, o nosso maior problema não é construir esses espaços e sim ter pessoal para trabalhar neles. Agora em 2015, por exemplo, finalmente, devemos ver concluídas as obras de cinco novos Cmeis. Conversamos nos últimos dias com o pessoal da Casa Alta, que venceu uma licitação nacional para erguer esses prédios, e o compromisso deles é nos entregar essas obras até setembro. E para trabalhar nesses Cmeis teremos que fazer remanejamento de pessoal. E justamente por conta desse nosso problema com pessoal é que uma solução para essa demanda reprimida é o vale-creche. Os estudos já estão bem adiantados dentro da Prefeitura, mas como é algo novo na cidade a definição dos critérios, tanto para credenciar as instituições particulares que poderão se habilitar a atender essas crianças, como os próprios critérios para que as famílias possam requerer o vale-creche não são simples. O que podemos afirmar é que a prioridade será dada àquelas crianças cujos pais estejam trabalhando. Nossa intenção é que esse projeto esteja funcionando no segundo semestre do ano que vem.

SECRETARIADO

Vou fazer alguns ajustes, mas preciso de pessoas que deem resultado. Preciso de qualidade técnica. Não posso escolher as pessoas simplesmente porque elas têm ou tiveram certa representatividade política. Então vou fazer alguns ajustes entre cinco e quinze de janeiro, com remanejamentos e nomes novos, ampliando, talvez, a participação feminina no governo.

PROMESSAS DE GOVERNO

Confesso que quando recebemos o governo da gestão anterior, fiquei surpreso com o tamanho do comprometimento que havia da receita. E justamente por isso, já temos admitido à população que não é possível cumprir todos os compromissos que assumimos em campanha. E estamos tendo que compensar isso com outras propostas, como é o caso do programa do Bairro Novo, que está reurbanizando diversos bairros da cidade. Vamos também investir em áreas de lazer para a comunidade. Vamos construir outros dois centros de lazer, nos mesmos moldes do que estamos fazendo no Tupy. Também vamos revitalizar e construir novas praças. Em frente à Escola Archelau, naquela área onde ficam os ciganos, faremos uma delas. Vamos reformar a Praça do Manoel Bandeira e mexermos na Praça da Bíblia, com sua ampliação.

RELACIONAMENTO COM O SERVIDOR

A relação do gestor com o funcionalismo é preciso ser analisada sob dois prismas. Isso porque existe aquele servidor que está comprometido com o objetivo de servir à comunidade, já que ele se dispôs a prestar um concurso público. Esse funcionário entende a crise pela qual passamos. No entanto, há outro grupo de funcionários, uma minoria, que não tem tanto compromisso assim com a população, que não vive a cidade e está mais alinhado com os sindicatos, que só fazem política e não estão dispostos a uma discussão mais profunda. Então, em 2015, quero sim estreitar a relação com o funcionalismo, principalmente com aqueles comprometidos com o trabalho, que é a imensa maioria.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2016

A partir de fevereiro, já com as eleições de 2016 no horizonte, vamos fortalecer as articulações políticas. Arregimentar partidos, incentivar lideranças novas a disputar as eleições de 2016, com o maior número de candidatos possíveis. Espero das pessoas que estão comigo muita lealdade, pois do contrário os convidarei a seguir seu próprio caminho. Quero partidos declaradamente do nosso lado. As pessoas podem ter seus anseios, inclusive de ser candidato a prefeito, mas é preciso ter lealdade ao grupo. Não posso permitir que as pessoas caminhem individualmente. Vou começar a costurar as eleições de 2016 e isso, no entanto, não quer dizer que serei eu o candidato a prefeito lá na frente.

BALANÇO DE 2014

Em que pese ter sido um ano eleitoral, fato que influencia diretamente a administração municipal, pois param as algumas transferências de recursos e impedem a celebração de alguns convênios, conseguimos avançar bastante, especialmente na área de urbanização. Viabilizamos várias parcerias com o Governo do Estado. São obras de pavimentação sendo feitas em boa parte da região Norte da cidade e também na Leste. Também conseguimos iniciar a construção da Escola Elírio, na região Sul e acabo de confirmar a celebração de um outro convênio, que possibilitará a urbanização de várias ruas. Inicialmente, serão R$ 1,8 milhão e até maio devemos obter outros R$ 7 milhões.

Também é preciso comemorar o avanço importante que conseguimos na área da Educação, com a assinatura de um termo de compromisso de ajuste de responsabilidade no que diz respeito ao ensino de sexta a nona série. Com isso, a Secretaria de Estado da Educação absorverá 1.300 crianças em 2015 e assim sucessivamente, até que fiquemos responsáveis somente pelo ensino das séries iniciais.

Também preciso comemorar a conclusão do processo de compra de doze ônibus escolares, que serão entregues agora em fevereiro, bem como o término do processo de aquisição dos uniformes escolares para nossos alunos. A empresa vencedora já iniciou a medição das crianças e até maio todas devem ter recebido seu uniforme. Estamos investindo algo em torno de R$ 5 milhões nesse projeto.

Não há como deixar de citar também a entrega do maquinário para os nossos distritos rurais e o início da licitação para compra dos caminhões, que melhorarão ainda mais o serviço de manutenção das estradas da área rural. E já no início de 2015 devemos iniciar o processo para compra de rolos compactadores e tratores roçadeiras para atender o homem do campo. No mais, é preciso comemorar o fato de termos continuado com a manutenção dos serviços à população, mesmo com as dificuldades financeiras que nos foram impostas.

Texto: Waldiclei Barboza / Foto: Waldiclei Barboza

Compartilhe esta notícia
2 thoughts on ““2015 será o ano da nossa redenção”, diz prefeito”
  1. Quero ver mexer naquela secretaria de finanças. Tudo o que a gente precisa demora um tempão pra resolver… Seja alvará, seja dúvida com a nota fiscal eletronica que implantaram e parece que não tem equipe para trabalhar ou até na fiscalização. Estamos perdendo um monte de empresas para outras cidades por causa desses problemas. Reclamam de falta de arecadação de dinheiro mais não mudam nada pra manter as empresas na cidade. Acorda Prefeito!!! O Olizandro me parece ser uma boa pessoa, bem intencionada, mas está com uma equipe mediucre nas secretarias e diretorias.

Comments are closed.