6º Encontro Araucária Down foi um sucesso e reuniu muitas famílias

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O Dia Internacional da Síndrome de Down foi celebrado em 21 de março, uma data escolhida em referência aos 3 cromossomos no par número 21, característico das pessoas com a síndrome. É uma data importante, de conscientização, de informação, de confraternização e de alegria, que não pode passar em branco. Pensando nisso foi que um grupo de mães cujos filhos frequentam o CMAEE Joelma, em parceria com o Centro Especializado, realizou no domingo, 20 de março, o 6º Encontro do Grupo Araucária Down. “As mães do grupo ficam à frente de toda a organização, o carinho com que organizam tudo é sentido durante todo o evento”, disse a diretora do Joelma, Emiliane Woijick Selenko.

O encontro contou com a parceria da Casinha do Saber, que levou apresentações de malabarismo, teatro de fantoches com o Mister Amora, brincadeiras, sorteio de prêmios e o Studio Brenda Brito com aulão de ritmos para os presentes. E as crianças não deixaram a desejar na coreografia, deram um show nas suas mães. “Nesse ano, ainda mais familiares estiveram presentes. As crianças sempre ficam muito orgulhosas de mostrar sua escola para a família, e isso valoriza o trabalho que é desenvolvido em nosso CMAEE”, destacou Emiliane.

Segundo ela, eventos como este também reforçam para a sociedade a necessidade de respeito às diferenças, quaisquer que sejam, e promovem o desenvolvimento das crianças e suas potencialidades. “É necessário destacar que a síndrome de down não é uma doença, e sim uma condição genética da criança, que acontece na divisão celular do óvulo, que resulta em um par a mais no cromossomo 21, chamada trissomia e pode estar relacionada a algumas questões de saúde, mas que não impedem o desenvolvimento em todos os aspectos. “É importante que crianças com a síndrome de sejam estimuladas desde o nascimento e tenham acompanhamento profissional multidisciplinar”, reforçou a diretora.

Texto: Maurenn Bernardo

Compartilhar
PUBLICIDADE