Por Terezinha S. Poly, administradora da página Araucária uma Cidade uma Saudade.

Durante décadas o principal meio de transporte de Araucária foi feito pela estrada de ferro. A linha de trens cortava uma localidade da cidade que por ter o principal meio de transporte de pessoas e mercadorias recebeu o nome de Bairro Estação, apesar dos trens não se deslocarem mais pelo mesmo trajeto, o bairro mantém até hoje o nome.

Como todos os trens do início do século, estes também eram movidos a energia natural, o que acarretava em um grande número de árvores abatidas para formar as pilhas de lenha que alimentavam as composições. Podemos notar aqui que ambos lados havia o que na época era o combustível. Na década de 20 a antiga estação era uma construção simples em madeira, até mesmo na plataforma de embarque e desembarque, o lugar era tranquilo e também concorrido pois aqui vinham e iam as pessoas que se deslocavam para outras localidades fosse a trabalho, viagem ou estudos, mas também era o local de despachar e receber as mercadorias que eram comercializadas na cidade, até então as linhas de ônibus ou veículos de transportes rodoviários ainda não faziam parte da vida dos araucarienses.

Nas laterais da estação as primeiras sólidas construções vistas na foto: um dos barracões que haviam no local e eram utilizados como depósitos de mercadorias, e a casa da Família Jacomel. Esse prédio durou até 1960 quando foi consumido por um incêndio, destruindo todo o imóvel e vitimando fatalmente o Guarda Freios que residia no local, em substituição outra foi construída desta feita em alvenaria e com mais segurança, esta segunda durou até os anos 80 quando houve a desativação da estação e o desmonte das linhas férreas e do prédio, atualmente neste mesmo local da foto encontra-se a Rotatória da PR 423. As linhas férreas e a estação, assim como as construções laterais já deixaram de existir.

Os trens foram responsáveis pelo início do progresso em Araucária, hoje restam lembranças, sejam por fotografias ou na memória de alguns antigos moradores que viram as mudanças que ocorreram, sem dúvida foi um dos lugares que deixou muitas saudades para todos.

Foto: Acervo do Arquivo Histórico Archelau de Almeida Torres

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Década de 20

Nas primeiras décadas do século XX, Araucária ainda era uma cidade pequena, onde a maioria das residências estavam ao redor da Praça Dr. Vicente Machado

Transporte de linho em carroças

Na década de 40, havia em Araucária uma das maiores indústrias de tecido de linho do Estado do Paraná. Situada na Rua Major Sezino, no

Antigo Hospital São Vicente de Paulo

Situado na esquina das Ruas Professor Alfredo Parodi com a Cel. João Antonio Xavier, a primeira construção do Hospital são Vicente de Paulo foi inaugurado

As pontes metálicas

Embora hoje o Rio Iguaçu esteja com suas águas poluídas e malcheirosas, já houve tempo que esse lugar era um chamariz para turistas. A frequência,

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp