Entende-se como empatia a capacidade de reconhecer não só as nossas próprias emoções, mas perceber os sentimentos dos outros, imaginar por que alguém pode estar se sentindo de determinada maneira e se preocupar com o seu bem-estar. No dia 12 de junho é celebrado o Dia Mundial da Empatia, data que marca a importância dessa habilidade cada vez mais necessária na sociedade.
Existem partes específicas do cérebro que desencadeiam a empatia, permitindo a conexão emocional com o outro e a motivação para ajudar. Quando vemos alguém que está passando por uma situação difícil, por exemplo, os caminhos desse sentimento no nosso cérebro são ativados e sentimos o impulso da compaixão, explica a coordenadora do Colégio Marista Sagrado Coração de Jesus, Rosangela Dambroski dos Santos.
Essa habilidade tem grande valor para a vida em comunidade, pois ela nos ajuda a conviver melhor e prosperar como sociedade. Incentivar as crianças e adolescentes a agir com solidariedade é uma ótima forma de ajudá-las a desenvolver a capacidade da empatia.
O melhor professor para os filhos é o exemplo dos pais. Por isso, é importante que, desde cedo, observem ações empáticas e de solidariedade sendo praticadas dentro de casa. É possível ajudar instituições beneficentes, realizar doações para campanhas, auxiliar vizinhos, familiares e amigos quando necessário ou atuar como voluntário em alguma organização.
Quando criamos jovens empáticos, estamos criando uma comunidade de pessoas capazes de demonstrar interesse verdadeiro pelo outro e conhecê-lo em sua individualidade, mergulhando em sua realidade e criando vínculos afetivos e relacionamentos em que existe entendimento mútuo entre as partes. E quem tem a ganhar com isso somos todos nós.

Publicado na edição 1315 – 09/06/2022

VEJA TAMBÉM

Compartilhe