A importância de um pré-natal correto | O Popular do Paraná
Compartilhe esta notícia:
Foto: divulgação

A coordenadora da ginecologia e obstetrícia do HMA aponta outro dado importante, que poderia ajudar na redução das taxas de abortos, a realização do pré-natal desde o início da gestação, e não tardio, como hoje acontece em muitos casos. “Muitas gestantes procuram o serviço médico depois do primeiro trimestre, o que torna difícil antever alguns problemas. Lembrando que o município oferece o pré-natal do início ao puerpério, além do acompanhamento com os médicos especialistas em gestações de alto risco, e quando algum problema é identificado no pré-natal básico, como uma má formação, por exemplo, é acompanhado pela médica fetal dentro do HMA. Ela recebe ainda acompanhamento com nutricionista, e se for o caso, encaminhamento para psicólogo e outras áreas”, pontua a doutora.

Ela lembra ainda que nas perdas gestacionais em pacientes recorrentes, com três ou mais abortos, a recomendação é de que estas mulheres não engravidem de novo, sem antes fazer uma investigação. Os exames devem ser feitos quanto ela não está grávida, pelo menos uns três meses após a perda gestacional”, diz a Dra Janaira.

O ginecologista Dr Claudio compartilha da mesma opinião, e afirma que o pré-natal é muito importante e deve ser levado a sério, principalmente para as gestantes que já tiveram outros abortamentos. “Esta situação a coloca em risco maior para outro evento, que algumas vezes pode ser prevenido através de orientação correta e medicação”, comenta o médico.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1247 – 04/02/2021

Compartilhe esta notícia:


Aproveite, cadastre seu email para receber novidades!

, , , , , ,