Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Albergue provisório do CSU atendeu pessoas em situação de rua durante todo o inverno. Foto: divulgação

O serviço provisório de albergagem no ginásio do CSU, que ofereceu pernoite, higienização e alimentação para pessoas em situação de rua, e que foi implantado no inverno em razão das baixas temperaturas, encerrou suas atividades no domingo, 4 de outubro. O encerramento, segundo a Prefeitura, está dentro do contexto da operação neste período do ano, onde o objetivo era oferecer um local temporário. Porém, a Prefeitura esclarece que apesar do fechamento do abrigo, o apoio e acompanhamento de pessoas em situação de rua ocorre ao longo de todo o ano, sem interrupção, por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e da Casa da Cidadania. As pessoas acolhidas na Casa da Cidadania são abordadas pelas equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social ou podem, por conta própria, procurar o CREAS, localizado na Av. Brasil, nº 298. Os telefones são 3901-5224 e 3901-5256.

Ainda conforme a Prefeitura, a estrutura da operação inverno compreende o acolhimento durante o período de noites mais frias, com oferta de banho, cama e alimentação. “Mas, o trabalho de assistência social pode ir muito além. Conforme o desejo da pessoa, é possível realizar ações visando a reinserção social, o que inclui perspectivas de inserção no mundo do trabalho e de fortalecer o contato com familiares”, explica.

A equipe do CREAS é responsável pela avaliação de cada caso e por verificar as necessidades de cada pessoa. Os que são atendidos na Casa da Cidadania contam com um projeto individual de atendimento, que estabelece metas para cada pessoa alcançar seus objetivos.

Enquanto ficou em atividade, o abrigo do CSU também acabou sendo alvo de algumas críticas, principalmente por parte do pessoal que utiliza o espaço para a prática de atividade física. Por várias vezes eles reclamaram que havia abrigados usando drogas nos arredores do ginásio. O problema deverá ser sanado com a desativação do albergue.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1233 – 08/10/2020

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM