Pesquisar
Close this search box.

Amar até as últimas consequências

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A Semana Santa para nós católicos assume uma importância ímpar, inigualável, pois, nos faz entender o grande amor de Deus pela humanidade. Antes de tudo, ele enviou seu filho ao mundo, que desceu até
nós, assumiu a nossa natureza humana, e, mais do que isso, se tornou servo de todos. Nos ensinou, durante toda a sua passagem aqui na terra, que a vida verdadeira se resume em serviço, sobretudo, em prol dos mais frágeis e necessitados. Mas, além disso, Ele nos amou plenamente, dando a vida pela nossa salvação. Um amor sem limites, que se doou, se entregou se sacrificou gratuitamente, sem esperar absolutamente nada em troca.

Ouvindo os relatos da condenação, da paixão e da morte de Jesus na cruz, podemos ficar emocionados, tocados em nossos sentimentos. Mas, mais do que isso, somos chamados a olhar para a cruz e aprender
com esse gesto supremos do Mestre, a aprender na sua escola. Isso significa, abrirmos o nosso coração
e, nos comprometermos a seguir seus passos. Se Ele, sendo Deus, deu a sua própria vida para nos salvar, assim também nós, somos chamados a dar a vida pelos irmãos. Chorar a sua morte, a sua dor, é também, chorar a dor de tantos que hoje morrem, vítimas de preconceitos, de racismos e de desigualdades sociais. Jesus morre em todo irmão que é abandonado, massacrado, diminuído e humilhado.

Ser seguidor de Jesus, nos remete naturalmente a este gesto máximo de amar até as últimas consequências, dando a vida pelo irmão, se preciso for. Quem pensa somente em si mesmo, naquilo que lhe convém, em seus próprios interesses, mesmo que proclame que Jesus é o seu Senhor, com certeza, não entendeu o que significa seguir Jesus. Como o próprio Mestre disse: ‘não é aquele que diz Senhor, Senhor, que entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai’. E Jesus, nos mostrou através de palavras, gestos e ações, o significado desta vontade. Ele passou pela vida amando, ajudando, preocupando-se sobretudo com os mais frágeis e doentes, fazendo o bem, não importando para quem.

Viver plenamente a Semana Santa é exatamente isso: renovar dentro de nós o desejo e a disposição para servir. O serviço feito na alegria, pois, como bem dizia São Paulo: ‘Deus ama a quem dá com alegria’. Sermos servos alegres, porque, instrumentos do amor de Deus neste mundo. Se Jesus, sendo Deus, amou tanto, a ponto de morrer na cruz por amor, nós, seus seguidores devemos aprender na sua escola, que o amor salva, ilumina, purifica, liberta e transforma. Sem amor gratuito e desinteressado, não compreendemos quem é Jesus. E ali reside a hipocrisia: falar bonito, até com emoção, mas, viver de modo oposto daquilo que se prega.

A Semana Santa, nos convida a participarmos de todas as celebrações, mas, mais do que isso, a colocar em prática o que elas nos convocam. Na quinta-feira santa, Jesus lava os pés dos discípulos e nos ensina a fazer o mesmo; na Sexta-Feira Santa, morre por amor a cada um de nós; mas, no domingo, Ele ressuscita glorioso, e, vive para sempre no meio de nós. Com Ele, queremos aprender a lavar os pés uns dos outros, ou seja, servir com alegria; dar a vida pelos irmãos, para ressuscitarmos um dia. Amém.

Amar até as últimas consequências

Publicado na edição 1306 – 08/04/2022