Amigos contam experiências que viveram durante peregrinação pelo Caminho de Santiago de Compostela

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Os quatro amigos que decidiram encarar juntos uma das trilhas mais conhecidas e famosas do mundo, o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, estão de volta ao Brasil e com a bagagem cheia de histórias pra contar. Os araucarienses Higor Dela Vedova, 18 anos, Everaldo Dela Vedova, 44, e Márcio Fregonese, 38, e o curitibano Jeferson Rodrigo de Souza, 37, pedalaram durante 12 dias, percorreram 900kms, passando por paisagens maravilhosas e pequenas vilas e cidadezinhas históricas, encarando todos os tipos de terrenos, vegetações e climas. O grupo enfrentou dias quentes e frios e também dias chuvosos.


Ao relatarem as experiências que viveram, eles fizeram questão de relembrar como a aventura começou. Jeferson foi o primeiro a lançar a ideia da peregrinação para os amigos. Márcio, que trabalha na mesma empresa que ele, não pensou duas vezes e topou de imediato, por ser um sonho antigo seu. Depois veio o Everaldo, que foi facilmente conquistado pelo Márcio, que é seu cunhado, e logo o Higor (filho do Everaldo) se animou em seguir com eles.


“Nosso primeiro dia de pedalada já foi bastante desafiador, exigiu um esforço físico tremendo. A expectativa era pedalar 60km na largada, mas foi mais pesado do que imaginávamos, então mudamos os planos e pedalamos pouco mais de 30km. No dia seguinte tivemos que recuperar o que não havíamos pedalado no primeiro dia. Incrível quando lembro que durante todo o trajeto a gente sentia uma energia muito forte, que parecia nos acompanhar, sempre apareciam pessoas dando dicas importantes, nos ensinando, conversando com a gente. Foi um grande aprendizado, com muitos momentos de reflexão, principalmente quando cada um do grupo pedalava sozinho. Ali pedalando, naquele clima de fé, a gente também começava a enxergar as pessoas de uma forma diferente, olhava pra elas com carinho e atenção, com aquele sentimento de um querer ajudar o outro. Foi inesquecível e com certeza ficará marcado para sempre nas nossas vidas”, declarou Márcio.


Jeferson também se surpreendeu com tantas situações que viveu nos 12 dias de peregrinação. Ele agradeceu o fato de terem concluído todo o percurso sem nenhuma queda, nenhum acidente, com apenas alguns pneus das bikes furados e nada além disso. “Testamos nossa capacidade física, porque nos esforçamos muito, até completamos o trajeto em menos tempo que prevíamos, que era de 13 dias. Também testamos nossa capacidade mental, mas em tudo posso afirmar que foi uma experiência única. Ver a quantidade de peregrinos fazendo o trajeto a pé, me surpreendeu demais. Pelo caminho encontramos muitas pessoas de idade avançada, com 70, 80 anos, muitas mulheres peregrinando sozinhas, jovens, muitas pessoas de outros países. Nos albergues onde pernoitávamos, tivemos a oportunidade de conviver com gente do mundo inteiro, e essa vivência cultural foi enriquecedora. Vimos muitas paisagens lindas, arquiteturas, enfim, a história viva estava na nossa frente, tudo aquilo que sempre víamos nos livros e filmes, se tornando real. Pedalar pelo Caminho de Santiago de Compostela me fez pensar o quanto sou privilegiado, pois tenho saúde, tenho condições financeiras para viajar, tenho família e amigos que me apoiam. Todo meu reconhecimento e gratidão por isso”, disse.


Não foi só mais um pedal


A pedalada que para Everaldo até parecia ser fácil, acabou se tornando desafiadora, mas ele diz que tudo que passou valeu muito a pena. “Achei que ia ser só mais uma pedalada, entre tantas, mas no caminho fui vendo as dificuldades, tive oportunidade de refletir e pensar muito na vida, foi como ‘lavar o espírito’. Depois dessa viagem a gente passa a dar valor as pequenas coisas da vida, algo que antes não fazíamos. Pedalar nesse caminho tão diferente e ver tantas pessoas movidas pela fé, pra mim foi uma marca na minha vida”, disse.


O Higor também ficou empolgado com tudo que presenciou. “Gostei bastante dessa experiência. Foi cansativo sim, mas ver a solidariedade dos peregrinos e poder conhecer os povoados ao longo do caminho, ficará marcado pra sempre em minhas lembranças. E também foi bem divertido poder fazer esta peregrinação com meu pai, meu tio e meu amigo”.

Amigos contam experiências que viveram durante peregrinação pelo Caminho de Santiago de Compostela
Foto – divulgação

Texto: Maurenn Bernardo

Compartilhar
PUBLICIDADE