Amor familiar – Vocação e caminho de Santidade

.
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A família é o nosso bem maior. É ali que nós aprendemos as coisas básicas e essenciais para a nossa vida. São lembranças que ficaram para sempre arquivadas em nossa memória e nunca mais serão esquecidas. A infância é o período determinante do nosso futuro, e, mesmo que alguém queira apaga-la, é simplesmente impossível. Negar é o mesmo que reforçar algo que nos marcou negativamente e que não queremos olhar e enfrentar. Problema negado não é problema resolvido. Claro, quando adultos, podemos ressignificar a nossa existência, dando um novo sentido àquilo que talvez não nos realizou plenamente quando crianças. Mas é simplesmente impossível mudar um passado; é o mesmo que querer voltar atrás, após um acidente de carro, como se pudesse mudar o fato.
O amor familiar nos conduz para a santidade. Papa Francisco nos apresenta cinco características do santo, que, podem ser perfeitamente aplicadas para cada membro da família. Vamos recordar. Segundo o nosso querido papa, em primeiro lugar, viver a santidade significa ser capaz de suportar humilhações, situações inesperadas, frustrações. Se formos olhar a nossa realidade familiar, quantas situações adversas se manifestam no dia a dia familiar. Quantas expectativas frustradas, que podem causar um mal estar e até separação. Mas, se soubermos encarar as decepções, poderemos aprender com os erros e dar a volta por cima. Naturalmente, nem tudo o que os casais sonham e projetam para o casamento, se realizará. Isso não é nada de anormal, pois, o dia a dia reserva inúmeras surpresas desagradáveis. Mas, o verdadeiro amor, supera e não se deixa abater por estas realidades conflitantes e inesperadas.
Uma segunda característica da santidade é a alegria e o bom humor. Como é bom ver famílias que se reúnem para celebrar a vida, contar piadas, rir juntos, recordar histórias do passado. A alegria é uma qualidade impar da busca da santidade, mas, não uma alegria qualquer, mas, aquela que brota do encontro com Jesus. Essa alegria, associada ao bom humor, cria um clima, um ambiente muito agradável no seio familiar. Espanta para longe a tristeza e o mau humor, que, tantas vezes rondam a família. Pessoalmente, sinto uma alegria enorme quando posso estar com a minha família, com os irmãos, com os sobrinhos. É como se estivesse vivendo uma sensação de paraíso, porque, nada se compara com a alegria de estarmos juntos, todos reunidos.
A santidade na família, segundo o nosso papa, passa pela ‘parrésia’, ou seja, pelos desafios da vida. Como é agradável perceber um pai que coloca objetivos, metas, para serem cumpridas pelos seus filhos. Os desafios movem a nossa vida. Tudo aquilo que é muito fácil, sem exigir esforço e empenho, facilmente se dissolve. Aquilo, que, pelo contrário, exige dedicação, suor, com certeza, tem um significado muito mais consistente e que se sustenta com o tempo. Além disso, o caminho da santidade é fruto de oração. Família que reza unida, permanece unida. Feliz aquela família que encontra tempo para ir na igreja, celebrar, dar um lugar especial para as coisas do alto. E. por fim, diz o nosso papa, que a santidade se manifesta na vivência em comunidade. Participar das atividades comunitárias, pois, somos seres sociais e nós nos realizamos, no encontro com o outro. Deus abençoe todas as famílias e a minha também. Amém.

Amor familiar - Vocação e caminho de Santidade

Publicado na edição 1325 – 18/08/2022

Compartilhar
PUBLICIDADE