Apae Araucária retoma aulas presenciais de forma gradual

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Apae Araucária retoma aulas presenciais de forma gradual
Com poucos alunos em sala de aula, a APAE organizou a retomada por escalas. Foto: divulgação

Após mais de um ano com atividades exclusivamente remotas, a Escola Edvair José Leme de Campos/APAE Araucária retornou de forma presencial na manhã desta segunda-feira, 23 de agosto. Segundo a diretora Anilcéia Araújo de Sousa, ao todo são 108 alunos matriculados, mas apenas 68 retornaram de forma presencial. Os demais continuam em aulas remotas. “Fizemos uma escala semanal para não ultrapassar os 40% de lotação em sala, então recebemos 34 alunos por semana. Desses que retornaram, os pais responderam a um questionário, onde tinham a opção de voltar ou permanecer no remoto”, explica Anilcéia.

As aulas foram retomadas no sistema híbrido e todos os protocolos estão sendo adotados dentro da escola, para garantir a saúde dos alunos. “Nós elaboramos um protocolo de biossegurança seguindo o MEC (Ministério da Educação e Cultura), e a Secretaria Municipal de Educação aprovou”, frisou a diretora. Lembrando que os professores tiveram que usar máscaras especiais, porque de acordo com a lei, alunos especiais não são obrigados a usar máscaras.

Embora seja um pouco cedo para fazer uma avaliação do retorno presencial, Anilcéia comentou que no primeiro dia já foi nítida a alegria dos alunos em rever a escola, a professora e os colegas. “Eles estavam sentindo muita falta do ambiente escolar. A situação ainda não está confortável, por isso o retorno não pode ser do jeito que a gente queria, com abraços e muita festa. Quando todos os alunos e profissionais forem vacinados – alguns ainda não receberam a segunda dose – talvez possamos retornar de forma diferente e mais tranquila”, disse a diretora.

Atualmente a APAE Araucária atende alunos de 8 a 60 anos, ofertando o 1º e 2º ano do ensino fundamental e EJA especial do 1° ao 5° ano. “Para os alunos que optaram em continuar remoto as professoras continuam gravando aulas, que são encaminhadas para os grupos de whatsapp das turmas. Também são enviadas aos alunos apostilas, uma por mês, e a professora ainda atende particularmente as famílias que têm dificuldade para auxiliar os alunos através de chamadas de vídeo ou mensagens e ligações. Para os alunos que não têm acesso à internet e celular, a APAE leva todo mês as apostilas nas casas, juntamente com as explicações”.

De maneira geral, Anilcéia comentou que a escola se adaptou bem a essa nova realidade, mas no começo não foi fácil. “Tivemos que fechar muitas parcerias para poder financeiramente levar essas apostilas até às famílias, porque mais de 70% dos alunos recebiam os materiais em casa. Verbas que tivemos buscar principalmente para custear o combustível e a manutenção da Kombi da instituição, porque além das apostilas, levamos as cestas básicas, frutas e verduras, máscaras, e agora no inverno também levamos roupas e cobertores”, pontuou a diretora.

Rede municipal

O Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado – CMAEE Joelma do Rocio Tulio, que integra a rede municipal de ensino, não retornou com as atividades presenciais, mas há uma previsão de retomada nas próximas semanas. “Existe a possibilidade de que um primeiro grupo de alunos retorne na semana que vem, mas é tudo muito incerto ainda. As turmas com alunos de maior comprometimento serão as últimas a voltar. Enquanto isso, a escola segue no ensino remoto, onde algumas famílias recebem as atividades via WhatsApp, por residirem distante da escola, outras recebem as atividades em casa. Para algumas famílias o ensino remoto fica muito difícil, porque muitas vezes há um celular só para vários filhos receberem as tarefas”, explica a diretora Emiliane Woijick Selenko.

O CMAEE atende atualmente 189 alunos, de 2 a 22 anos. Alguns permanecem em turma fixa, ou seja, são atendidos somente no Centro Especializado, pois tem comprometimento maior. Outros são turmas de Atendimento Educacional Especializado (AEE), isto é, alunos matriculados em escolas e CMEIS que fazem o contraturno no Joelma. “Fazemos um trabalho voltado à atenção, memória, raciocínio, sempre com materiais manipuláveis e diferente do trabalho que é feito em sala de aula do ensino regular de escolas e CMEIs”, esclarece Emiliane.

Cautela no retorno

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, o retorno presencial nos Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado – CMAEEs, está sendo organizado, porém não há como definir uma data exata. Ao todo são cinco Centros: CMAEE-AI Joelma do Rocio Tulio, CMAEE TGD, CMAEE Visual, CMAEE Surdez e CMAEE-AI Padre José Anusz.

“Temos um comitê especializado que está cuidando da organização para esse retorno. Estamos em discussão com a Secretaria Municipal de Saúde para definir o retorno com total segurança, considerando que por lei os alunos não são obrigados a usar máscaras, então se estuda a possibilidade de vacinar os familiares dessas crianças antes desse retorno. Mas tudo é muito incerto ainda, precisamos definir com cautela”, comentou a secretária da SMED, Adriana Palmieri.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1276 – 26/08/2021