Araucária ganhará uma unidade de conservação
Área verde onde será implantada a unidade de conservação em Araucária

Araucária está prestes a ganhar uma Nova Unidade de Conservação Intermunicipal que será denominada Refúgio da Vida Silvestre Rio Iguaçu/Foz do Barigui. O primeiro passo para a criação da unidade será dado na próxima terça-feira, 16 de setembro, com a realização de uma Consulta Pública, que acontece na Paróquia Senhor Bom Jesus, bairro Costeira.

A população é convocada a participar da reunião, que pretende sanar todas as dúvidas e apresentar em detalhes o que está sendo proposto. Os participantes também ficarão conhecendo a definição dos limites e dimensões da nova unidade.

Segundo o secretário do Meio Ambiente, Hino Dirlei Falat Pereira de Souza, a unidade será uma espécie de corredor de fauna, pois no local existem relatos de algumas espécies ameaçadas de extinção, que serão protegidas com a criação do refúgio, entre elas os bugios, lontras e as aves ananaí, garça-branca, gavião carijó e beija-flor. “É um imenso corredor verde que possui uma fauna riquíssima e que futuramente será um excelente objeto de estudos ambientais. A unidade vai funcionar em sistema de consórcio entre Araucária, Curitiba e Fazenda Rio Grande porque a área em que será instalada é extensa e abrange estes três municípios. Em Araucária, a unidade tem extensão ao longo do Rio Barigui, a partir da Rodovia do Xisto até a sua foz no Rio Iguaçu”, explica Dirlei.

A unidade

A criação do Refúgio de Vida Silvestre do Rio Iguaçu/Foz do Barigui está embasada na Lei Federal n° 9985/2000 que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, com o objetivo de proteger ambientes naturais que assegurem condições para existência ou reprodução de espécies ou comunidades de flora e fauna local, residente ou migratória.

A nova unidade será criada em parceria com as prefeituras de Curitiba e Fazenda Rio Grande e será a maior Unidade de Conservação Intermunicipal do país localizada em área urbana, contando com mais de 1.200 hectares de área preservada.

Para o traçado foram consideradas áreas naturais, como os maciços vegetacionais, áreas de várzea, ocorrência de fauna ameaçada de extinção e a Lei Municipal n° 2160/2010 que institui o zoneamento, o uso e a ocupação do solo.

Esta unidade além de contribuir com a preservação da biodiversidade na região melhorará a qualidade das águas e diminuirá o impacto das enchentes.

Além de toda a importância do refúgio para o meio ambiente e para a conservação de espécies, o município também aumenta sua arrecadação já que passa a receber uma parcela maior do ICMS Ecológico que é destinado aos municípios que possuem unidades de conservação da biodiversidade e áreas de manancial.

Serviço

A Consulta Pública acontecerá na próxima terça-feira, 16 de setembro, às 18 horas, na Paróquia Senhor Bom Jesus, que fica na rua Bernardino Lemos, 20 – bairro Costeira.

Texto: Maurenn Bernardo / Foto: Reprodução Google Maps