Araucária recebe no domingo (26), atividades do Dia Roxo de combate ao preconceito sobre a doença Epilepsia

atividades do Dia Roxo de combate ao preconceito sobre a doença Epilepsia
Foto: Divulgação.
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Araucária vai sediar no próximo domingo (26/3), o Dia Roxo ou Purple Day – como é mundialmente chamado. O evento é alusivo ao Dia Mundial de Conscientização da Epilepsia (26/3) que este ano no Brasil tem como tema “Conectados pela Epilepsia”. As atividades acontecem na rua Peroba, 73, no bairro Capela Velha, a partir das 14h e serão abertas a toda a comunidade.

Bruna Siqueira, moradora do bairro Tatuquara (Curitiba), é uma das organizadoras do evento na cidade e diz que os encontros do Dia Roxo estão focados no esporte e lazer para um alcance maior entre as comunidades. “Às 14h teremos um jogo onde as crianças irão carregar a bandeira do Purple Day, com intuito de reforçar a causa). Também vamos montar na quadra de areia um espaço para entrega de material informativo. Teremos ainda espaço kids com cama elástica e camarim de pintura e distribuição de kits de doces, que foram doados por colaboradores”, comenta Bruna.

Segundo ela, Araucária possui legislação voltada ao Dia Roxo, mas não há divulgação e eventos em torno da data. “Como nós temos vários grupos de apoio nas redes sociais, decidimos trazer o evento para a cidade”, explicou.

A doença

A epilepsia é caracterizada por uma desordem no cérebro, que pode ser genética ou adquirida em consequência de traumatismo craniano, acidente vascular cerebral ou qualquer outra lesão que atinja o cérebro, entre outros motivos.

Há várias formas de manifestação das crises convulsivas, mas cerca de 70% dos casos podem ser tratados e controlados com medicamentos. Já os outros 30% são de difícil controle, podendo haver necessidade de intervenção cirúrgica.

Purple Day

Com o objetivo de marcar a data para a conscientização sobre a epilepsia, o Purple Day começou em 2008 no Canadá, por iniciativa de Cassidy Megan, uma menina, na época com 9 anos, e com o apoio da Associação de Epilepsia da Nova Escócia (EANS). Desde então o movimento vem se espalhando pelo mundo e eventos simultâneos são realizados próximos a data para trazer visibilidade e debate sobre o tema.

Compartilhar
PUBLICIDADE