Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Araucarienses fizeram bonito no campeonato mundial e arremataram vários troféus. Foto: divulgação

Quebra de recordes mundiais e medalhas de ouro e prata. Estas foram as conquistas dos arqueiros e arqueiras do grupo Arauqüeras, que participaram do WBHC – Campeonato Mundial de Arco e Flecha na cidade de Yankton, em Dakota do Sul, nos Estados Unidos, realizado entre os dias 9 a 14 de setembro. A competição reuniu 131 participantes, de 20 países.

Quatro arqueiros de Araucária marcaram presença no Campeonato: Pablo Vinícius Deusdiante, Lawrence Augusto Alves Pinto, Marcos Antônio Riter e Clementina Riter. Pablo sagrou-se campeão e recordista mundial na categoria YAMTR – Jovem Adulto; Tina Riter foi vice-campeã mundial e recordista sulamericana na categoria VFTR – Veterana; Lawrence Augusto foi o 4º colocado na categoria AMBU – Adulto; e Marcos Riter o 5º colocado na categoria VMTR – Veterano.

“Foi uma experiência enriquecedora, pudemos perceber como estamos evoluindo no esporte, atirando de igual para igual com arqueiros e arqueiras do mundo todo. Dois destaques merecem nossa atenção, o Pablo, que além de campeão mundial impôs uma nova marca em sua categoria, escrevendo pela primeira vez no livro de melhores marcas da IFAA o nome de um brasileiro, e Tina Riter, que sagrou-se vice-campeã em uma disputa épica com as arqueiras Lesley Sleight da Inglaterra e Morena Vecchi da Itália. Depois de 140 flechas disparadas, 1322 pontos conquistados, a decisão só aconteceu na última flecha disparada”, comentou Marcos Riter.

Esforço reconhecido

Pablo Vinícius Deusdiante tem 17 anos, pratica tiro com arco desde criança, incentivado pelo pai Pablo. Os dois fabricavam os próprios arcos e flechas em casa, onde também treinavam. Depois desse início, eles conheceram o núcleo dos Arauqüeras, e o salto técnico na melhoria da prática do esporte foi ainda maior. “Meu treinador e mentor é o meu pai, ele é instrutor de tiro com arco nível 3 pela IFAA – International Field Archery Association. Graças aos seus treinamentos, consegui o título mundial e a quebra do recorde mundial. É o resultado de 5 anos de treinamento árduo, dedicação, e também o uso de equipamentos de ótima qualidade durante os campeonatos”, comenta o jovem.

Entre os títulos já conquistados, Pablo é campeão sulamericano Field 2017, campeão brasileiro categoria juvenil 2017, campeão sulamericano Bowhunter 2018, campeão brasileiro Bowhunter 2018 e campeão mundial Bowhunter 2019. “Agradeço a todos que sempre torceram por mim e me incentivaram, como a minha família, meus amigos e toda equipe do Colégio Júlio Szymanski, onde estudo atualmente”, finalizou.

Lawrence Augusto, 49 anos, que começou a praticar tiro com arco desde criança, como uma simples brincadeira, disse que o nível da competição estava altíssimo e que na sua categoria ele ficou atrás do bi-campeão mundial, do campeão europeu e do vice-campeão europeu, ainda assim, bateu o recorde brasileiro da prova 3D Hunting, no último dia da competição, fechando sua participação com chave de ouro. “Estou participando de competições há cerca de cinco anos e posso afirmar que esta prova teve uma dificuldade alta e muito técnica, como todo campeonato mundial deve ser, com alvos dispostos numa floresta na montanha, com tiros para cima e para baixo. Sem contar o desgaste físico da jornada de competição, percorrendo a trilha com lama devido às fortes chuvas que ocorriam à noite. As competições diárias começavam às 9h e terminavam por volta das 13h, sem interrupção para o almoço, sendo que em um dos dias, terminou para mim às 15h30. E essa foi a rotina de competição, por quatro dias consecutivos” explicou.

Texto: MAURENN BERNARDO

Publicado na edição 1181 – 19/09/2019

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM