Embora hoje o Rio Iguaçu esteja com suas águas poluídas e malcheirosas, já houve tempo que esse lugar era um chamariz para turistas. A frequência, principalmente nos fi nais de semana, era intensa. Para cá vinham pescadores de diversos lugares, pois a quantidade e qualidade dos peixes era imensa, famílias e amigos se reuniam para realizarem piqueniques, nadar, pescar e diversos ônibus de turistas traziam os frequentadores do nosso rio. Muito se fala deste passado, o próprio rio tinha diversos pontos rasos onde crianças podiam brincar e adultos que não queriam nadar também podiam aproveitas os momentos próximos às águas.

Vemos aqui a primeira ponte metálica, que fica próxima ao campo de futebol do Araucária FC., neste lugar havia uma faixa de areia que os frequentadores chamavam de “praínha”, um lugar próprio para descanso e banho. As águas do Rio Iguaçu já foram tão limpas que era pos sível beber direto de seu leito,
foram também consideradas curativas, tendo sido esse um dos motivos que o o médico polonês Dr. Julius Szymanski criou um Sanatório para cura de doenças respiratórias e de garganta, além da paisagem ser calma e própria para cura de doenças estressantes. E era em momentos de férias ou finais de semana de verão que as familias como aqui a Família trauczynski se reunia e, junto com amigos, levavam as crianças para momentos de lazer e descanso junto ao que já foi um rio de águas puras e límpidas próximo ao cartão postal de Araucária: as velhas e históricas Pontes Metálicas.

Foto do acervo do Arquivo Histórico Archelau de Almeida Torres

Texto: Terezinha Poly

Publicado na edição 1305 – 31/03/2022

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe