As famílias da região da região do jardim Arvoredo, no bairro Capela Velha, que se encontram em estado de vulnerabilidade social temporária em função das restrições de segurança e do isolamento social, começaram a receber no sábado, 28 de março, cestas básicas montadas por meio de doações. A iniciativa da campanha de arrecadação partiu da presidente da associação de moradores do Jardim Arvoredo, Laureni Vicente Belo Ferreira, ao notar a necessidade dentro da comunidade.

A ação solidária reúne moradores e empresários do município, com foco na ajuda aos carrinheiros e catadores de recicláveis da região, uma vez que as instituições que compram os materiais coletados estão fechadas, respeitando as medidas de combate ao coronavírus. “Três mulheres me procuraram para pedir ajuda da associação. Elas estão paradas, assim como várias outras, então propus a campanha de arrecadação e elas aceitaram”, explica Laureni.

Além das famílias do Arvoredo, carrinheiros da região do Passaúna também serão amparados pela ação. Nesta primeira fase, segundo Laureni, 47 residências já estão sendo atendidas e a expectativa é que, com a divulgação, as doações aumentem e mais famílias possam receber esse auxilio. “Na terça-feira, 31, fomos até a prefeitura conversar sobre essa pauta. Todos precisam de ajuda nessa quarentena”, reforça. Laureni comentou ainda que foram entregues 30 cestas no sábado, doadas pela VKR Empreendimentos. “Eles precisam muito dessa corrente do bem”, reitera a presidente.

Entre os alimentos que poderão ser doados estão arroz, feijão, óleo, polentina, temperos, açúcar, café, bolacha, chá mate, vale gás, produtos de limpeza e de higiene pessoal. Outro pedido da equipe voluntária é a contribuição na doação de rações para os cachorros dessas famílias.

Serviço

As doações podem ser feitas na sede da associação, localizada na Vila Arvoredo II, Rua dos Pinheiros, n° 11, jardim 21 de Outubro, próximo do Jardim Arvoredo.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1206 – 02/04/2020

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe