fbpx

Para agilizar seus atendimentos, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) solicitou recentemente a ciência de todas as medidas protetivas deferidas na Vara Criminal da comarca de Araucária, para realizar a busca ativa de todas as mulheres em situação de violência. O objetivo é informar  sobre a existência do CRAM e quais são as atribuições do serviço (informar, orientar, encaminhar, acompanhar, articular a rede para facilitar o acesso das mulheres em seus direitos, dando celeridade às  demandas das assistidas). E o pedido deu certo, pois foi pactuado com a Vara Criminal para abrir medidas protetivas via Processo Judicial Digital. Em outubro foram 18 medidas que o CRAM tomou ciência e em novembro foram 29 (até dia 26).

“Isso afeta no sentido de ampliar o atendimento prestado às mulheres em situação de violência, amplia o conhecimento de todos os profissionais sobre as especificidades das situações e amplia o conhecimento da sociedade sobre tão grave e importante questão social”, avalia a coordenadora do CRAM, Simone Vicenti.

Segundo os técnicos do serviço, apesar de todas mulheres com medida protetiva serem orientadas sobre a existência do CRAM, nem todas aceitam acompanhamento do serviço. “Cada mulher encontra-se em um momento específico e singular, muitas não estão preparadas ainda para falar sobre a violência, e sentem-se contempladas e seguras com a Medida e o acompanhamento da Patrulha Maria da Penha, sem outras demandas a lhes afligir naquele momento, ou alguma necessidade específica, além do dispositivo da lei. Porém o importante é saberem onde recorrer caso necessitem”, explica Vicenti.

A equipe se reúne frequentemente com os órgãos da rede de atendimento à mulher,  refletindo sobre os processos de trabalho, envolvendo a Patrulha Maria da Penha, Vara Criminal, Delegacia e os demais órgãos que compõem a rede de proteção.

Atendimentos

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM) orienta sobre direitos, presta acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, proporcionando acompanhamentos psicossociais, além de fazer encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência, contribuindo para o fortalecimento da mulher. 

Os atendimentos podem ser agendados previamente por telefone* para organizar melhor o fluxo do serviço. Atualmente há 118 mulheres em acompanhamento constante pela equipe, em monitoramento semanal, quinzenal ou mensal, por vezes, alguns casos, acompanhamento diário devido à gravidade e complexidade da situação.

Contato atendimento CRAM

*Telefone (41) 3614-1507
O serviço atende no mesmo prédio do Centro Dia Idoso, localizado na Rua Nossa Senhora dos Remédios, 1273 – Fazenda Velha, Araucária.

Emergência/Flagrante – Disque 153

Em situações de emergência (quando a violência está acontecendo), orienta-se chamar a Guarda Municipal pelo telefone 153 para flagrante.

Texto: Assessoria

VEJA TAMBÉM

Final de semana promete frio e geada

Quem gosta de um friozinho poderá aproveitar o final de semana do jeitinho que planeja. Nesta sexta-feira o dia amanhece com 3ºC e tem a

Compartilhe