Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Equipe Rodrigues tem estreantes e atletas experientes em maratonas. Foto: divulgação

Faça sol, faça chuva, faça calor escaldante ou faça um frio de doer. Não importa as condições do tempo, lá estão eles, fazendo o que mais gostam: correr! Esta é a rotina de um grupo de corredores de Araucária, que se prepara enfrentar uma prova desafiadora, a Maratona Internacional de Florianópolis, que acontece no próximo domingo, 25 de agosto. Somente da Equipe Rodrigues, serão aproximadamente 20 atletas, além de outros, que vão participar de forma individual. Muitos deles vão encarar uma maratona pela primeira vez.

É o caso da atleta Rosinha Garcia, da Equipe Rodrigues, que há três meses está se preparando, com treinos diários e intensos, para enfrentar esta prova. “Estou bem ansiosa em estrear nesse tipo de corrida de longa distância, tenho focado nos treinos e espero concluir o percurso de 42 km. Acredito que meu principal obstáculo será vencer o psicológico, porque imagino que depois dos 36 km, mesmo o corpo estando preparado, a cabeça vai pedir pra parar. Mas estaremos em um grupo grande, um vai incentivar o outro a cruzar a linha de chegada”, comentou Rosinha.

Jocilei Fernandes Nunes, também da Equipe Rodrigues, disse que esta será sua segunda maratona, mas a primeira como inscrito. “No ano passado participei da Maratona de Curitiba só por experiência, dessa vez será oficial. Estou me preparando a umas 15 semanas, e com todo esse meu esforço, pretendo fazer um bom tempo. Terei dificuldades se encarar um sol forte, mas quero concluir a prova antes disso, já que a largada será às 6 horas. Minha meta não é vencer, mas concluir a prova”, observou o atleta.

O atleta João Carlin Padilha, que vai correr sem equipe, conta que esta será a primeira maratona da sua vida. Ele também tem intensificado os treinos, aumentando o ritmo a cada dia. “Nos últimos treinos chegamos a 35 km, sete a menos do percurso de uma maratona, mas já deu pra sentir quais serão as dificuldades. No meu caso, em especial, a principal limitação pode ser devido a problemas nos joelhos, provocados pelo desgaste de treinos do Karatê, pois luto há 35 anos de karatê. Tenho uma fratura na perna direita também, mesmo assim estou empolgado em saber que posso concluir o percurso de 42 km. É um desafio que só o esporte nos proporciona”, disse Carlin.

Luciana dos Santos Carnaval, que também vai correr no individual, será outra estreante em maratonas. Corredora há cinco anos, ela conta que no ano passado ficou praticamente sem treinar, e esse ano voltou, e decidiu que era hora de encarar os 42 km, que isso a faria retomar o foco e a dedicação aos treinos.

A atleta relata que começou a treinar focada na maratona há cerca de quatro meses. “Comecei a treinar com o objetivo de ir aumentando a distância aos poucos, para que meu corpo fosse se adaptando. Foram muitos treinos acima dos 30 km, então penso que se algo não sair como planejado, posso reduzir, respirar e correr até chegar. Mas o futuro a Deus pertence, só não terminaria essa prova por motivo de lesão mesmo, fora isso, não tenho motivos para não concluir”, afirma.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1177 – 22/08/2019

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM