Ben Hur sobre áudio: “Não grampeei ninguém e não sei de irregularidade alguma”

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O presidente da Câmara de Vereadores, Ben Hur Custódio de Oliveira (Cidadania) conversou com O Popular nesta quarta-feira, 9 de agosto, sobre a entrega ao Ministério Público de um áudio em que ele verbaliza, entre outras coisas, que teria “grampeado” promotores de justiça que atuam na cidade e que teria conhecimento de pagamento de propina a agentes públicos municipais no contrato firmado entre o Município e a Fundação Instituto de Administração (FIA), que é a empresa responsável pelos estudos que culminaram numa série de projetos de lei que reformam a previdência e a carreira dos servidores públicos municipais.

O áudio foi entregue ao Ministério Público na semana passada pelo vereador Fábio Pavoni (PV), que desde então vem compartilhando em suas redes sociais cópia do ofício protocolado junto à 5ª Promotoria de Justiça da cidade. Pavoni também teria vazado o áudio na última terça-feira, 8 de agosto, sendo que desde então as declarações de Ben Hur vêm circulando em grupos de whatsapp e perfis do Facebook e Instagram.

Abaixo, você lê o que disse o presidente da Câmara sobre o conteúdo do áudio.

Contexto da gravação

Para ser bem sincero eu demorei um tempo para me recordar com certeza quando foi feita esta gravação, mas acredito que ela tenha ocorrido há uns meses já. Me recordo que estava numa confraternização. Era um ambiente de festa, com churrasco e cerveja. Nesse evento também estava o vereador Pavoni. Já tinha bebido umas cervejas quando começamos a conversar sobre política. Ele se gabava de algumas coisas e eu me gabava de outras. Pra ser bem sincero, nem me lembro ao certo do que falei, mas foi uma conversa daqueles de boteco, em que todo mundo inventa as coisas. Jamais imaginei que ele ou algum amigo dele iria gravar essa conversa. Só uma pessoa muito perturbada faz uma gravação dessas e a guarda durante semanas, meses, planejando como usá-la forma unicamente política.

Genildo Carvalho

Todo mundo sabe que eu e o Genildo temos caminhadas diferentes e que temos o desejo de ser candidato a prefeito em 2024. Mas ele não é meu inimigo. Mas também não somos amigos. Não quero o mal dele e hoje estou chateado por ter dito aquelas coisas.

FIA

Esses boatos sobre irregularidades no contrato da FIA existem desde a contratação da empresa e considero isso até normal, porque é um valor alto. Mas eu não tenho conhecimento de nenhum pagamento de propina ou algo assim. E nem acredito que exista. Porque o prefeito Hissam e o nosso grupo político não admitem isso. Corrupção havia em outros tempos nessa cidade. Mas como estamos falando de um passado recente, as pessoas ainda ficam achando que tem esquema em tudo. Talvez tenha sido por isso que falei aquilo na conversa que o Pavoni gravou. Mas falei pra gargantear com ele. Não sei de nada sobre pagamento de propina e se tivesse alguma materialidade de que isso estivesse acontecendo comunicaria ao prefeito e ao Ministério Público. Por isso neste momento só tenho que me desculpar pela minha fala, que foi infeliz.

Grampo em promotores de justiça

Olha, não sei de onde tirei isso. É um absurdo tão grande que se não fosse a minha voz eu não acreditaria que tinha dito. Mas, assim como tudo nessa conversa com o Pavoni, isso aí também foi uma bravata minha naquele contexto de conversa regada a carne e cerveja. Jamais grampeei ou gravei ninguém. Nem sei como se faz isso. Hoje sei que quem sabe fazer isso é o vereador Pavonia, que teve a coragem de me gravar num ambiente festivo.

Ofensas a promotores

Não é segredo pra ninguém que tenho uma mágoa com os promotores da cidade. Me considero injustiçado em algumas ações que o MP entrou contra a minha pessoa. Mas estou recorrendo dentro da lei e tenho fé em Deus que ao final desses processos serei inocentado. Apesar de o áudio ter sido gravado num contexto privado, não devia ter me expressado daquela forma com relação a eles e fica aqui o meu pedido de desculpas por isso.

Próximos passos

Tenho me reunido com minha assessoria jurídica para ver o que pode ser feito contra a pessoa que gravou uma conversa particular sem minha autorização. Essas situações me deixam triste, porque o momento na Câmara era de nos dedicarmos a analisar esses projetos de lei com a máxima atenção possível e não perdemos tempo com essa gravação sem pé nem cabeça. Mas tudo na vida é aprendizado. Vamos seguir nossa caminhada e trabalhar junto com o prefeito Hissam para continuar fazendo o melhor para o bem comum da nossa população.

Edição n. 1375

Compartilhar
PUBLICIDADE