Bugio aparece em bosque do Sol Nascente e intriga moradores

Macaco tem sido visto circulando por entre as árvores e a comunidade está preocupada por não saber se ele é feroz. Foto: Marco Charneski
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Bugio aparece em bosque do Sol Nascente e intriga moradores
Macaco tem sido visto circulando por entre as árvores e a comunidade está preocupada por não saber se ele é feroz. Foto: Marco Charneski

Um visitante inusitado chamou a atenção de moradores do jardim Sol Nascente, no bairro Industrial, após aparecer no bosque que fica ao lado da Escola Municipal Delani Aparecida Alves. Trata-se de um macaco da espécie bugio, que tem sido visto com frequência, circulando entre as árvores do local.

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), disse que acionou o Instituto Água e Terra (IAT), para que sejam tomadas as medidas necessárias, por se tratar de um animal silvestre, que pode causar problemas para a vizinhança do bosque, caso se sinta ameaçado. “Nós entramos em contato e enviamos ofício para o IAT, que se comprometeu em vir fazer a vistoria. Quando isso ocorrer, o Meio Ambiente irá acompanhar a visita”, explicou o veterinário Gustavo Warich.

A reportagem do Jornal O Popular entrou em contato com o IAT para saber se existe previsão para essa vistoria, e o órgão informou que seu Setor de Fauna já foi comunicado pela SMMA sobre a presença de um macaco bugio no bosque localizado no Jardim Sol Nascente e que ainda essa semana um técnico irá até o local para analisar a situação e levantar o máximo de informações a respeito do comportamento deste animal, para planejar uma possível captura e realocação.

Cuidados

Enquanto o bugio permanecer no bosque, a orientação da Secretaria do Meio Ambiente é que a população não alimente e nem mexa com o animal, pois ele pode se tornar perigoso. “Sempre que as pessoas avistarem um animal silvestre, machucado ou acuado ou que esteja causando transtornos, a orientação é ligar para a SMMA e relatar o fato. Faremos a captura e, se for o caso, pediremos apoio ao IAT, como ocorreu neste caso do bugio”, disse Gustavo.

Ainda de acordo com a SMMA, a presença de macacos da espécie bugio não é comum na área urbana, mas pode ocorrer, pelo fato de Araucária estar rodeada de Áreas de Preservação Ambiental – APAs e Áreas de Preservação Permamente – APPs, onde convivem diversas espécies silvestres. Outro motivo, esclarece o veterinário, seria o tráfico de animais silvestres. “Muitas pessoas compram esses animais de forma ilegal, e quando eles crescem, começam a dar trabalho e despesas, ou se tornam agressivos, elas acabam soltando-os.

Serviço

Denúncias envolvendo presença de animais silvestres na área urbana poderão ser feitas pelo telefone da SMMA, 3614-7483. Porém vale ressaltar que parte das situações a secretaria consegue resolver, algumas precisam de apoio de outros órgãos do Estado.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1283 – 14/10/2021