Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Foto: divulgação

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) exercem um trabalho fundamental na prevenção ao suicídio, atendendo os casos moderados e graves em atenção psicossocial. Nesse sentido, os Centros fazem um trabalho ao longo de todo o ano voltado a esta população. Este ano, além das ações cotidianas, contaram com o apoio técnico do Departamento de Atenção Psicossocial (DAPS) através da disponibilização de material gráfico denominado “Cartão das Emergências” e treinamento às equipes. O material foi elaborado pelo Departamento, a partir do livro “Crise suicida: avaliação e manejo”, do autor Neury José Botega.

Quando a equipe do CAPS identifica que o paciente está em risco de suicídio, além de ofertar os atendimentos multiprofissionais individuais (médicos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais, e enfermeiros), pode incluir o paciente em cuidados intensivos com permanência em tempo integral ou semi-integral no serviço (que funciona de segunda e sexta-feira, das 8h às 17h), articulação com a rede, atendimento e orientação familiar, visitas domiciliares, encaminhamento para os serviços de urgência e emergência ou internamento integral na atenção hospitalar. “Cabe lembrar que durante a pandemia de Covid-19 houve uma expressiva perda de recursos grupais nos serviços devido aos protocolos de segurança impostos pela crise sanitária, o que impactou negativamente nos recursos disponíveis para a população atendida”, justificou a Saúde.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1280 – 23/09/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM