Pesquisar
Close this search box.

Casos de dengue registrados em Araucária são todos “importados”

Agente de combate a endemias usa colete verde e agente de saúde, colete azul. Em algumas visitas elas atuam juntas. Foto: divulgação
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Casos de dengue registrados em Araucária são todos “importados”
Agente de combate a endemias usa colete verde e agente de saúde, colete azul. Em algumas visitas elas atuam juntas. Foto: divulgação

Dos casos de dengue confirmados até o momento em Araucária, todos foram registrados em moradores que retornaram de viagem já infectados, ou seja, são casos importados de pessoas que adquiriram a doença em outras cidades. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde, que orienta as pessoas que apresentarem algum sintoma da doença como febre, dor de cabeça, dor no corpo, cansaço ou mal-estar, a procurarem as Unidades de Saúde da sua região ou a UPA para avaliação e acompanhamento. No momento do atendimento o morador irá preencher a Ficha de Notificação, que será encaminhada à equipe de Vigilância em Saúde, para as ações de vigilância vetorial.

Para manter a dengue sob controle no Município, Araucária conta com o trabalho de uma equipe de agentes de combate a endemias, composta por 15 integrantes. O trabalho desses agentes é importante, mas muitas vezes eles enfrentam dificuldades para serem recebidos nas residências, devido à desconfiança dos moradores por conta dos vários golpes que existem na praça, alguns deles usando a figura dos agentes. Por isso, a Saúde esclarece que os agentes de combate a endemias utilizam colete verde e bolsa com identificação. Em caso de dúvidas, o morador poderá ligar para a UBS da área a qual pertence o agente ou para o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) pelo 3901-5283.

O trabalho de visitas ocorre ao longo de todo o ano dentro de uma lógica de amostragem. Nas situações em que há confirmação de larvas do mosquito na região, o protocolo prevê a visita casa a casa ou na empresa, para orientações. Pode ocorrer notificação para que o responsável resolva a situação que possa estar gerando o foco do mosquito.

Focos na cidade

A presença de larvas do vetor Aedes aegypti tem sido confirmada no trabalho de monitoramento realizado semanalmente nas armadilhas instaladas pela Prefeitura. Dentro de um histórico, a região do Thomaz Coelho costuma ter mais confirmação de larvas do mosquito da dengue. Mas isso não quer dizer que outras regiões estejam livres do risco. A população pode informar à Saúde sobre possíveis focos de mosquito por meio da Ouvidoria da Saúde: ouvidoriadasaude@araucaria.pr.gov.br ou 0800-6437744.

Cuidados a serem tomados

A população pode tomar alguns cuidados e colaborar com o controle da dengue. De maneira geral, deixar os terrenos limpos, realizar frequentemente a verificação das calhas e evitar deixar exposto objetos (mesmo os pequenos) que possam acumular água da chuva. Tomar cuidado especial se for estocar água durante o período de estiagem, evitando o estoque por mais de 3 dias. Recipientes como caixas d’água e tonéis devem estar vedados adequadamente de forma a impedir o acesso do mosquito.

E lembre-se, lave sempre as paredes destes recipientes entre o uso, pois os ovos depositados pelos mosquitos ficam ali aderidos e podem se desenvolver com a nova remessa de água. Se o morador for viajar para áreas onde há infestação do vetor, é recomendado que se utilize repelente para mosquitos.

A Prefeitura também mantém o serviço de coleta agendada de volumosos como pneus, móveis, fogões, geladeiras, entre outros. Todos esses materiais, se jogados em terrenos baldios ou córregos, podem acumular água da chuva e se tornar focos do mosquito da dengue.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1292 – 16/12/2021