Coluna SMED: O recesso escolar – momento de construção de memórias afetivas

Imagem de destaque - Coluna SMED: O recesso escolar – momento de construção de memórias afetivas
Foto: Divulgação
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Encerra-se o 1º semestre e nada mais justo do que professores, crianças e estudantes aproveitarem a oportunidade, oferecida pelo recesso escolar, para reabastecer corpo e mente.

Durante o período do recesso destaca-se a importância do tempo destinado às crianças para a convivência familiar, social e comunitária, preservando seu constante desenvolvimento psíquico e físico.

Nestes dias também é válido que os pais ou responsáveis reforcem alguns cuidados com relação ao excesso de tempo vago para as crianças. Cuidados com a alimentação, horários de dormir e acordar, exposição excessiva a aparelhos eletrônicos são alguns dos hábitos que devem ser observados e monitorados.

Ressalta-se ainda que, no período do recesso escolar, deve-se manter a atenção com a saúde, sugere-se então, a manutenção/colocação da carteira de vacinação em dia.

Vale lembrar que o recesso não é só para as crianças e estudantes. Os profissionais também entram em recesso!

Este momento, para os profissionais, deve ser considerado como um momento de descanso que lhes permite cuidar de sua saúde mental, o que ajuda a recarregar as energias antes do início do segundo semestre.

O período do recesso auxilia no alívio das preocupações da vida cotidiana, por esse motivo, ter esse tempo é essencial para a manutenção constante da saúde mental e física, trazendo outros benefícios, como o aumento da criatividade, a expansão de novas ideias, promovendo consequentemente, o aumento da produtividade.

Comunidade escolar a hora é esta! Curta pequenos prazeres e viva-os intensamente: Tire uma soneca. Curta um bom filme. Entre em contato com a natureza. Programe um passeio com a família. Faça aquele exercício físico que tanto gosta. Mergulhe na leitura de um livro. Encontre aquele (a) bom (a) amigo (a) que não vê há tempos. Descanse!

Edição n.º 1422