Pesquisar
Close this search box.

Combate a incêndio na Gerdau já consumiu 1 milhão de litros de água e fogo persiste

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Estimativa do Corpo de Bombeiros dá conta de que o trabalho de contenção do incêndio no pátio de sucatas da unidade Araucária da Gerdau já consumiu 1,2 milhão de litros de água.

O trabalho no local já dura quase 24 horas e a previsão do Corpo de Bombeiros é de que ele possa não ser concluído neste sábado, 10 de abril. Vencida as labaredas será dado início ao trabalho de rescaldo que perdurará por alguns dias.

O incêndio no pátio de sucatas teve início por volta das 15h de ontem (9) e rapidamente ficou fora de controle. A brigada interna da empresa não conseguiu conter o fogo e acionou o Corpo de Bombeiros de Araucária, que posteriormente requisitou o apoio de outras unidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Para enfrentar as labaredas houve a necessidade de utilização da água dos hidrantes, dos caminhões e de um lago existente na área da empresa.

As proporções do incêndio fizeram também com que a Defesa Civil de Araucária fosse acionada. O órgão está hoje vinculado à Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP). Coube a Defesa Civil acionar as empresas que integram o chamado Plano de Apoio Mútuo (PAM) para auxiliar no fornecimento de material para que os bombeiros pudessem enfrentar as labaredas. Pelo menos 40 mangueiras tiveram que ser emprestadas de uma empresa de combustíveis da área industrial da cidade para auxiliar no controle do fogo.

Ainda conforme a Defesa Civil, em razão das proporções do incêndio, foram acionados órgãos como a Polícia Civil e o Instituto Água e Terra (IAT), antigo IAP, a quem caberá apurar as causas do incêndio e eventual danos provocados ao meio ambiente.

A gigantesca nuvem de fumaça causada pelas labaredas pode ser vista em todos os cantos de Araucária, em Curitiba e outras cidades da RMC, como São José dos Pinhais, Campo Largo, Contenda e Fazenda Rio Grande.

Sucatas

Ainda não há informações oficiais sobre a origem do incêndio. Mas levantamentos preliminares dariam conta de que uma espécie de “curto-circuito” numa das montanhas de sucata pode tem sido a causa. Isto porque o pátio da Gerdau reúne todo o tipo de sucata, desde pequenos pedaços de ferro até carrocerias inteiras de carros e ônibus. Todo esse material fica amontado a céu aberto e posteriormente é levado para os fornos da empresa para derretimento.

Empresa ainda não deu maiores informações sobre o ocorrido

Apesar da dimensão do incêndio, a Gerdau ainda não deu maiores detalhes sobre o ocorrido. Em nota apenas confirmou a existência do fogo e que as causas estão sendo apuradas.

Bombeiros permanecem no local No início da tarde deste sábado, uma equipe de dez bombeiros ainda permanecia combatendo o fogo na Gerdau. Segundo o tenente Zirpoli, está sendo utilizado uma plataforma, que permite que a equipe tenha uma visão aérea dos focos de fogo. Ele ainda explicou que o enfrentamento desse tipo de incêndio acaba tendo um complicador a mais, já que – quando o metal entra em combustão – ele depende de muita água para seu resfriamento. O tenente pontuou ainda que a empresa está auxiliando os bombeiros que trabalham no local com o fornecimento de apoio logístico, combustível e alimentação.

Combate a incêndio na Gerdau já consumiu 1 milhão de litros de água e fogo persiste
Combate a incêndio na Gerdau já consumiu 1 milhão de litros de água e fogo persiste

Texto: Waldiclei Barboza/ Fotos: Divulgação