Pesquisar
Close this search box.

Conheça a linda história de mãe e filha que se complementam na mesma profissão

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Milene Lopes de Almeida, 26 anos, diz que sente orgulho em vestir a farda da Guarda Municipal de Araucária. Mas para ela, o orgulho maior, sem dúvida, é saber que compartilha da mesma profissão que a mãe Evanir Lopes de Almeida. Milene entrou para a corporação em setembro de 2021, na 5ª turma. O pai Carlos Alves de Almeida, também GM, é da 1ª turma. A mãe se formou na 3ª turma e tem ainda o irmão Guilherme Lopes de Almeida, 27 anos, que também se formou na 5ª turma. Uma família inteira de guardas municipais! De fato, a farda parece estar definitivamente presente na vida da Milene. O namorado Soares também é um GM, formado pela 2ª turma.

“Crescer com pais guardas é um desafio e um privilégio, os cuidados e cobranças vindo deles sempre foram redobrados devido ao dia a dia do trabalho. Eles sempre dividiram conosco as alegrias e tristezas da profissão, nos contavam sobre algumas ocorrências que atendiam, pessoas que prendiam, mas principalmente as pessoas que ajudavam, e isso gerou uma admiração imensa, que só aumentou conforme fomos crescendo”, conta a GM. Mas é quando fala da mãe que os olhos da Milene brilham. Para ela, Evanir sempre foi um exemplo de mulher. “Ela é excelente em tudo que se propõe a fazer, e seguir os passos dela é um prazer imenso”, declara.

Mulheres também se destacam

Quando o assunto é presença feminina em cargos que geralmente são ocupados por homens, a GM afirma que ingressar numa instituição com maioria masculina é realmente um desafio, porque até alguns anos atrás se esperava que as mulheres que trabalhavam nessa profissão seriam mais masculinizadas, tanto em falas quanto em comportamentos.

“Particularmente eu discordo dessa necessidade, acho que uma mulher pode ser feminina e desempenhar o papel de guarda municipal tão bem quanto um homem. Um bom profissional é um bom profissional, independente do sexo. É claro que na rua ainda existem alguns desafios, muitas vezes precisamos ser mais enérgicas para sermos ouvidas e levadas a sério, felizmente uma situação que aos poucos vai deixando de ser uma regra”, relata.

Sempre de cabeça erguida

Milene diz ainda que o fato de lidar com um ou dois desafios por ser mulher nunca a desanimou. “O prazer que sinto em trabalhar nessa área é inenarrável, da mediação de conflitos às ocorrências de maior vulto, todos os atendimentos me trazem uma satisfação enorme, e o mais interessante da profissão é que ela não é monótona, cada ocorrência é diferente e todos os dias a gente aprende algo novo. O fato de ter pessoas na minha vida que trabalham na mesma área é muito engraçado, tem o lado bom, mas também tem o lado ruim. Hoje toda minha família é GM e meu namorado também, o conheci enquanto estudava para o concurso, então é muito positivo no sentido de sanar dúvidas, trocar experiências e pontos de vista, a parte ruim é que tem dias que eu não aguento mais ouvir falar de guarda municipal”, brinca.

Milene ainda diz que no começo teve receio que o fato de ter tantos familiares na corporação ofuscasse sua individualidade e que ela acabasse sendo apenas a irmã, filha ou namorada de alguém. “Hoje eu sou a filha do Alves, a filha da Evanir, a irmã do Lopes e a namorada do Soares, mas acima de tudo, eu sou a GM Milene. Porém eu atendo por todos esses nomes com orgulho, afinal eles são as pessoas que mais admiro no mundo”.

Edição n. 1354