Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

O caso da conselheira tutelar Michele Neri Peplinski, que recebeu indevidamente o benefício do programa Bolsa Família entre novembro de 2013 e maio de 2014, terá um novo capítulo na próxima semana. É que na quarta-feira, 17 de dezembro, às 9h, a Comissão de Ética do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), irá apresentar o seu relatório sobre o caso. Em seguida, essa análise será submetida aos integrantes do Conselho de Direitos.

Conforme apurou nossa reportagem, no âmbito do CMDCA, são três as punições possíveis para Michele: mera advertência, suspensão do cargo por determinado período e, o mais grave, perda do mandato de conselheira tutelar. Por outro lado, caso o órgão entenda que a conselheira não cometeu nenhuma irregularidade, ela pode ser simplesmente absolvida.

Outras representações

Também no dia em que o CMDCA decide o destino da conselheira bolsista, outro caso envolvendo o Conselho Tutelar será analisado. Trata-se de uma representação feita pela própria Michele contra as outras quatro conselheiras tutelares.

Texto: Waldiclei Barboza

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM