Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) analisou na quarta-feira, 17 de dezembro, o caso da conselheira tutelar Michele Neri Peplinski, que recebeu indevidamente o benefício do programa Bolsa Família entre novembro de 2013 e maio de 2014 e decidiu apenas adverti-la pelo ocorrido.

A decisão dos integrantes do CMDCA foi tomada após a apresentação do relatório feito por uma comissão de sindicância do órgão, que apurou a situação e recomendou apenas a aplicação de advertência, por considerar, entre outras coisas, que Michele devolveu o dinheiro recebido por ela irregularmente. No entanto, é bom destacar que o dinheiro só foi devolvido após publicação feita pelo O Popular tornando pública a irregularidade.

Como só levou uma advertência, Michele – em tese – já pode retomar suas atividades de conselheira tutelar, das quais estava afastada por orientação do Ministério Público local. O MP, aliás, também abriu procedimento para apurar a conduta da conselheira, porém ainda não há conclusão sobre o episódio.

Outras representações

Também no dia em que o CMDCA decidiu o destino da conselheira bolsista, outro caso envolvendo o Conselho Tutelar foi analisado. Trata-se de uma representação feita pela própria Michele contra as outras quatro conselheiras tutelares em virtude de um acordo que teria sido feito entre elas para cobrir os plantões de Michele. Com relação a este episódio, o CMDCA considerou a conduta dessas conselheiras inadequada e também aplicou advertência a elas.

Texto: Waldiclei Barboza

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM