Dez meses depois, laudo ainda não ficou pronto

Perícia vai apontar as causas da tragédia que matou a menina Lyvia
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Dez meses depois, laudo ainda não ficou pronto
Perícia vai apontar as causas da tragédia que matou a menina Lyvia

 

O laudo da perícia que vai apontar as causas da tragédia ocorrida na rua João Besciak, no jardim Santa Regina, no dia 2 de novembro de 2017, quando Lyvia Rodrigues Morais da Silva, 14 anos, morreu após um pilar de concreto cair sobre sua cabeça, ainda não ficou pronto. Kelly, a mãe da jovem, diz que está indignada com a demora, e agoniada em saber de quem é a responsabilidade pela morte da filha. Ela conta que no dia da tragédia foi jantar na casa de uma amiga e, por volta das 21 horas, a Lyvia estava brincando na rede e o pilar de sustentação não aguentou e caiu sobre sua cabeça, ela faleceu ainda no local, 10 minutos depois.

“Muito tempo já se passou e até agora o laudo não saiu. Na semana passada estive na Corregedoria da Polícia Civil e na Ouvidoria, fiz uma reclamação pela demora. Nesta terça-feira recebi um contato da Ouvidoria, dizendo que eles encaminharam o laudo na segunda-feira para a Delegacia de Araucária. Também já fui na 4ª Promotoria de Araucária e eles falaram que sem o laudo não podem dar sequência no processo. Preciso desse laudo para cobrar uma posição da Promotoria. Quero saber quem errou e quero que o mesmo seja punido. Minha única filha morreu nessa brincadeira de fazerem as coisas mal feitas e eu não vou deixar ficar assim”, desabafou.

A Delegacia de Araucária informou que a responsabilidade pelas perícias é do Instituto de Criminalística e do IML, e à DP cabe apenas cobrar os laudos, através de ofícios ou via poder judiciário. “Infelizmente acontece mesmo um grande lapso temporal entre o fato e a expedição do laudo”, explicou o delegado João Marcelo Renk Chagas.

Foto: divulgação

Publicado na edição 1127 – 23/08/18