Dos três réus levados à júri popular por homicídio, dois foram condenados e um absolvido

Imagem de destaque - Dos três réus levados à júri popular por homicídio, dois foram condenados e um absolvido
Foto: Divulgação
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Os réus Ademar de Oliveira dos Santos, Alisson de Oliveira Santana (vulgo Teta) e Wéricles Gonçalves Andrade (vulgo Bugre) foram levados à júri popular na quinta-feira, 06 de junho. Os três respondiam pelo homicídio de Wesley Samuel da Silva Batista, ocorrido no dia 22 de janeiro de 2022, no bairro Iguaçu, em Araucária.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Juri de Araucária reconheceu que o réu Alisson de Oliveira Santana participou do crime de homicídio qualificado pelo motivo fútil e por meio de recurso que dificultou a defesa da vítima e o condenou a 20 anos de prisão em regime fechado. O júri também condenou Wéricles Gonçalves Andrade a uma pena de 13 anos e 6 meses de prisão em regime fechado, por entender que ele cometeu o crime de homicídio qualificado também pelo motivo fútil e por meio de recurso que dificultou a defesa da vítima. Já Ademar de Oliveira dos Santos foi absolvido pelo Conselho de Sentença e já teve expedido o seu alvará de soltura.

Relembre o crime

Por volta das 03h15 da madrugada de 22 de janeiro de 2022, em frente a uma pastelaria situada na Rua Miguel Bertolino Pizzato, o réu Wéricles, de comum acordo com Ademar e Alisson, efetuou vários disparos com uma pistola 9mm contra Wesley, causando a sua morte.

Segundo a denúncia do Ministério Público, o autor dos disparos teria sido incitado pelos outros dois réus a matar a vítima. Inclusive, Alisson emprestou o carro e entregou a arma nas mãos de Wéricles para que ele cometesse o crime. Todo o plano teria sido arquitetado anteriormente pelo trio na casa de Ademar, que era sócio da vítima e primo de Alisson. A motivação do crime, conforme a denúncia, teria sido um desentendimento anterior entre a vítima e Alisson.