´E a palavra habitou entre nós’ (Jo 1,14)

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Deus foi se revelando ao longo da história, cheio de amor e de misericórdia. Ele se revela desde a origem do mundo, como aquele que coloca tudo em ordem. O sopro do seu espírito pôs tudo no seu devido lugar: terra, firmamento, mares, florestas, animais e os seres humanos. Deus se revela em Noé, depois em Abraão, na aliança com o povo de Israel e, finalmente, no seu próprio Filho Jesus. Antes, Deus foi se manifestando indiretamente ao mundo, mas, em Jesus, Ele se revela plenamente. Em Jesus acontece a plenitude da revelação. Para compreendermos quem é Deus, torna-se fundamental conhecer quem é Jesus. Ele é o verbo que se fez carne, assumiu a nossa humanidade, e, através de palavras, gestos e ações, foi manifestando ao mundo o verdadeiro rosto de Deus.
Deus desceu até nós e se fez plenamente homem, assumiu toda a nossa humanidade, menos o pecado. Em Jesus, o Pai vai se revelando quem ele é, o seu jeito de ser e de agir, convidando-nos a sermos iguais a Ele. Quando as pessoas afirmam dizendo que Deus é um só, eu pergunto: mas em qual Deus você acredita? Certamente, ele é um só, mas saber quem é realmente Deus, é preciso conhecer o Deus apresentado ao mundo através de seu Filho Jesus. Para nós, católicos, o centro da nossa fé, daquilo que cremos e buscamos seguir, está contido nos evangelhos escritos por Mateus, Lucas, Marcos e João. Para viver na plenitude aquilo que Deus quer de nós, basta conhecermos e seguirmos os princípios apresentados por Jesus, durante a sua vida terrena.
Para conhecer Deus, precisamos conhecer o homem Jesus de Nazaré, que foi se revelando ao mesmo tempo Deus. Plenamente homem e plenamente Deus. Não podemos partir do Cristo da fé, mas do homem Jesus de Nazaré. É através de suas palavras, gestos e ações, que Deus vai se apresentando ao mundo. Negar a humanidade de Jesus é o mesmo que negar a sua divindade. E quem foi Jesus? O que ele pregou? Quem eram os seus preferidos? O que ele fez nesta terra? Quais foram as suas palavras? Com quem ele andou? Que religião ele defendeu? São algumas perguntas essenciais para conhecermos o Deus de Jesus de Nazaré.
Jesus passou pela vida fazendo o bem, curando os enfermos, levando esperança e coragem aos pobres, pregando a conversão dos pecadores, movido por uma misericórdia infinita, sem limites. O seguidor de Jesus é movido por esses mesmos sentimentos, pronto para fazer o bem, colocando-se ao lado dos sofredores. O seguidor de Jesus prima pela verdade, pela honestidade, pela justiça, pela misericórdia, incapaz de julgar e condenar. Seguir a Deus, é viver como Jesus viveu, tendo os mesmos gestos do Filho de Deus, palavras e ações, carregadas de imensa ternura pelos irmãos.
O mês de setembro é o mês da Bíblia, da palavra de Deus, em honra a São Jerônimo, cuja festa celebramos no dia 30 de setembro. Ele traduziu a Bíblia para o latim, oportunizando a Palavra de Deus para todas as línguas vernáculas. São Jerônimo passou mais de 30 anos em Belém, numa gruta próxima àquela em que Jesus nasceu, dedicando sua vida à tradução da Palavra de Deus. Que sejamos, a seu exemplo, leitores encantados pela Bíblia, buscando viver aquilo que lemos e ouvimos. Amém.

´E a palavra habitou entre nós' (Jo 1,14)
´E a palavra habitou entre nós' (Jo 1,14) 1

Publicado na edição 1327 – 01/09/2022

Compartilhar
PUBLICIDADE