Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

No Guajuvira entrega aconteceu na terça-feira...
No Guajuvira entrega aconteceu na terça-feira…

...No Tietê na quarta
…No Tietê na quarta

Os moradores das comunidades rurais de Guajuvira, Tietê e Colônia Cristina ganharam um reforço de peso esta semana. É que foram entregues às subprefeituras desses distritos um conjunto de equipamentos contendo uma motoniveladora, uma retroescavadeira e um caminhão. Os veículos serão utilizados para os serviços de manutenção dessas localidades.

Durante a entrega desses equipamentos, o prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) enfatizou a importância de manter conservados os distritos rurais, de modo a possibilitar que os homens do campo tenham condições de exercer com dignidade o trabalho na lavoura.

Dos kits entregues, a retro e a motoniveladora foram adquiridos recentemente pelo Município. Já o caminhão é locado, mas deve ser substituído por um de propriedade da Prefeitura no início do ano que vem. “Com a economia que fizemos na compra das máquinas, sobrou dinheiro para comprarmos mais três caminhões e uma mini pá carregadeira. A licitação já está correndo e esses veículos devem chegar ainda no primeiro bimestre do ano de 2015”, explicou o prefeito.

Outro caminhão

Ainda para auxiliar os homens do campo, foi aberta esta semana uma licitação para compra de um caminhão trucado equipado com uma prancha. O preço estimado do equipamento é de R$ 329 mil. Parte dos recursos, R$ 250 mil, é oriunda do Governo Federal e foi destinada à Prefeitura de Araucária por meio de uma emenda parlamentar da deputada federal Rosane Ferreira (PV). O restante vem do orçamento próprio da Secretaria Municipal de Agricultura (SMAG). “Esse equipamento vai nos ajudar muito, principalmente no transporte da nossa escavadeira hidráulica, que é utilizada no programa de apoio aos piscicultores”, explica Carlos Couto, secretário de Agricultura.

Hoje, o transporte dessa escavadeira é feita por um caminhão locado e esse pagamento precisa ser feito pelos piscicultores. “Com o caminhão também poderemos atender mais famílias, pois ganharemos tempo, já que não precisaremos ficar esperando o caminhão chegar para transportar a escavadeira”, finalizou Bagé.

Texto: Waldiclei Barboza / Fotos: Carlos Poly / ACS

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM