Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
O reforço escolar é importante para reduzir as dificuldades apresentadas por alguns alunos. Foto: divulgação

A pandemia atingiu em cheio muitos setores, especialmente a educação. Apesar dos esforços das equipes pedagógicas e dos pais, o aprendizado dos estudantes foi impactado, preocupando a comunidade escolar. Buscando reduzir as dificuldades apresentadas pelos alunos no retorno híbrido, a Escola Municipal Professor Arlindo Milton Druszcz, no bairro Capela Velha, iniciou um projeto de aulas de reforço escolar aos sábados, com as turmas dos quintos anos.

A iniciativa em prol da educação começou a ser colocada em prática pelo corpo docente da escola no último sábado, 2 de outubro, se mostrando um verdadeiro sucesso. Segundo Simone Nunes Gonçalves, diretora do colégio, todos os alunos dos quintos anos foram convidados a participar das aulas do contraturno, visto a importância da recuperação e do desenvolvimento do aprendizado, muitos aderiram ao projeto a partir do consentimento dos responsáveis.

“A ideia surgiu a partir de uma conversa com a SMED a respeito das dificuldades apresentadas pelos estudantes com o retorno híbrido. Então, a direção consultou algumas professoras que se dispuseram a realizar o projeto. Os pais das crianças que estão participando estão bem felizes, pois se preocupam por eles irem para o sexto ano com tantas dificuldades”, explica Simone.

Suzana Branco, Diretora de Ensino da Secretaria Municipal de Educação (SMED), explica que o projeto adotado pela escola vai além dos desafios impostos pela pós-pandemia, caracterizando-se como uma ação a mais da escola ao perceber o déficit na aprendizagem dos estudantes e tem como finalidade trabalhar um tempo a mais com cada aluno. As aulas complementares de Matemática e Língua Portuguesa no colégio acontecem aos sábados. As turmas foram divididas em grupos. Uma parte vai até a instituição durante a manhã, das 8h às 12h, e outra no período da tarde, das 13h às 17h.

Preparando os jovens para o próximo ano letivo, a iniciativa foi mais que aprovada pela comunidade escolar. Suzana destaca que o projeto surgiu graças ao olhar atento das equipes para os problemas de aprendizagem dos estudantes. “A escola teve essa sensibilidade, junto com sua equipe de professores, de olhar caso a caso e propor ações efetivas para a aprendizagem destes alunos”, elogia a diretora.

Texto: Katty Ferreira

Publicado na edição 1283 – 14/10/2021

VEJA TAMBÉM