Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

 

Embora as novas denúncias feitas pelo Ministério Público ao longo dos últimos dias não guarde relação com fatos praticados na atual legislatura da Câmara de Vereadores, há pelo menos um edil entre os denunciados: Ben Hur Custódio de Oliveira (PR).

Segundo denúncia feita pelo MP, Ben Hur seria um dos responsáveis por fazer o recolhimento do repasse dos comissionados do então vereador Alex Nogueira (PSDB). Como se sabe, o atual presidente do Poder Legislativo foi por muitos anos um dos principais cabos eleitorais de Alex, ocupando – inclusive – a função de seu chefe de gabinete.

Além de Ben Hur, também constam como denunciados nessa ação o próprio Alex Nogueira e Ângelo Marcio Pinheiro Ribeiro, o Belém. Este, como se sabe, saiu recentemente da prisão e já foi condenado em segunda instância por ter tentado coagir uma testemunha no âmbito das investigações da Mensalinho. Belém, até bem pouco tempo atrás, era nomeado como assessor da vereadora Tatiana Nogueira (PSDB). Só foi exonerado quando teve sua prisão decretada.

As denúncias contra Alex, Ben Hur e Belém são pelos crimes de concussão e associação criminosa. Nos autos, o MP pediu, inclusive, que Ben Hur tenha sua função pública suspensa. Caso a Justiça defira o pedido, ele será afastado do cargo de vereador.

Na peça, o MP ainda quer que a Justiça imponha outras medidas cautelares em desfavor do edil. São elas: comparecimento quinzenal em Juízo para justificar o que anda fazendo; proibição de frequentar a Câmara e a Prefeitura de Araucária; bem como de manter contato com outros investigados e testemunhas, proibição de se ausentar da Comarca sem autorização judicial, recolhimento de seu passaporte, recolhimento domiciliar no perído noturno e finais de semana, uso de tornozeleira eletrônica e pagamento de fiança no importe de quase R$ 50 mil.

Medidas cautelares semelhantes também foram pedidas pelos promotores aos outros dois denunciados nesta ação.

Absurdas

Embora não tenha recebido qualquer tipo de intimação, até porque o processo ainda não alcançou esta etapa, o presidente da Câmara classificou como absurdas as ilações que teriam sido feitas contra ele. “Chegou até meu conhecimento, de maneira extraoficial, que poderia haver algum tipo de denúncia neste sentido. Já acionei meus advogados e eles estão cuidando disso. A verdade será restabelecida e quem fez as denúncias caluniosas será devidamente responsabilizada. As acusações levadas até o Ministério Público foram feitas por alguém que, desde o início do meu mandato, vem tentanto me prejudicar politicamente”, afirmou.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1143 – 13/12/18

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM