Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Familiares do CMEI Celia Bomfim Bialeski, no bairro Fazenda Velha, teceram muitos elogios à horta escolar que foi construída pelas crianças, professores e funcionários da unidade. A Horta Vovô José, batizada com o nome do jardineiro José Batista de Freitas, 72 anos, que ajudou na concepção do projeto, foi inaugurada na sexta-feira, 29 de outubro.

“Minha filha não comia saladas, era uma luta, mas hoje eu tenho muito a agradecer ao CMEI por ter realizado esta ação. Foi graças a horta das crianças que a Eloysa passou a adorar saladas, que hoje não sobram mais no prato dela. Parabenizo a iniciativa do CMEI porque isso incentivou as crianças”, disse Camila Hey dos Santos, mãe da Eloysa Manuele, da turma do Infantil 3A. Rhayssa Erderman, mãe do Lorenzo Rocha, do 2A, também achou importante o projeto da horta para o desenvolvimento das crianças. “Agora elas podem ver de onde vem as verduras e legumes que comem. Meu filho amou ir naquele dia no CMEI para plantar um pezinho de alface, ele sempre gostou de verduras. Chegou em casa perguntando se a gente não podia plantar mais. É um projeto muito bem organizado e planejado pela direção e pelas professoras. Um trabalho lindo!”, elogiou a mãe.

A Luisa Elenice Alberton, mãe da Isabela Alberton, do Infantil 3A, também concorda com as demais mães. Ela diz que a filha já gostava de comer saladas, verduras, frutas, mas como a horta foi construída com a ajuda das crianças, percebeu que ela (a filha) se sente responsável em cuidar das plantas. “A horta também estimula uma alimentação saudável. As crianças comem legumes e verduras sem agrotóxicos, plantadas e cuidadas por elas. Além disso, a criança tem um contato muito maior com a natureza e acredito que é desde pequeno que se aprende a ter uma consciência em relação as nossas atitudes com o meio ambiente”, destacou Luisa. Compartilhando da mesma opinião, a mãe do Davi, do Infantil 2, comentou que a horta ensina as crianças a cultivarem legumes e verduras e, principalmente, permite que elas tenham um contato com a natureza. “Agora elas comem produtos naturais, sem agrotóxicos, colhidos na horta, e o mais interessante é que as crianças que não gostavam de saladas e verduras, acabaram aprendendo a comer. É um projeto muito legal, nota 10!”, ressaltou.

Trabalho de todos

A diretora do CMEI, Claudia Jankowski, disse que a horta começou a ser planejada em agosto, com os trabalhos de estruturação dos canteiros e já no início de setembro as crianças começaram o plantio das mudas. “Contamos com o apoio do Departamento de Infraestrutura da SMED, do nosso Conselho Escolar e nossa APPF na viabilização deste projeto. Seu José se dispôs a preparar o terreno, eliminando ervas daninhas, restos de caliças e também foi quem estruturou os canteiros com os blocos de cimento. Toda a comunidade escolar colaborou puxando terra, pedras e doando as mudas”, relembra a diretora.

Claudia conta que hoje a horta já abastece o lanche das crianças. Elas mesmas têm a oportunidade de colher as hortaliças e saboreá-las nas refeições que realizam no CMEI. Todos são responsáveis por cuidar da horta, desde as crianças, até pais e funcionários. “No dia 29 de outubro o vovô José veio na unidade para participar da solenidade de inauguração da horta, ele acompanhou a colocação das plaquinhas, com o seu nome, e também recebeu uma cesta com uma xícara personalizada, entregue pelo neto Lucas, que estuda no CMEI Celia Bialeski. Seu José ficou orgulhoso e foi um momento de muita emoção”, conta Claudia.

Gratificante

Seu José Batista de Freitas tem uma bisneta e um neto matriculados no CMEI. A neta foi quem sugeriu que ele ajudasse a direção do Centro na implantação do projeto. “Ela ficou sabendo que eles queriam montar uma horta e precisavam de alguém para ajudar. Fui lá e fiz o trabalho, ajudei a montar os canteiros e depois fiquei muito emocionado quando descobri que a horta ia levar meu nome. Fiquei feliz com essa homenagem, porque lá eu fiz muitos amigos e estarei sempre à disposição para ajudá-los no que for preciso. Gosto disso, trabalhei muito tempo com limpeza e capinagem de lotes, adoro lidar com a terra”, diz o jardineiro.

Para ele, o mais gratificante foi ver a alegria das crianças fazendo aquilo. “Toda vez que eu ia lá lidar com a horta elas faziam a maior festa. Foi muito importante para mim esse trabalho”, reforçou.

Um espaço verde

A presidente do Conselho Escolar do CMEI Celia Bomfim Bialeski, Eliane Ferneda de Souza, recorda que perto do refeitório das crianças havia um espaço de terra só com grama. Então a diretora Claudia conversou com a equipe e perguntou de que forma aquele espaço poderia ser aproveitado. A implantação da horta foi sugerida em reunião.

“Iniciamos o trabalho, conseguimos tijolos e terra preta. A Claudia pediu a participação da comunidade escolar na construição do espaço. Uma das primeiras pessoas a se prontificar para ajudar foi Seu José. Junto com outros pais e professores, ele participou de todas as etapas, até os canteiros ficarem prontos para receberem as mudas. Depois as crianças fizeram o plantio e regaram. Foi um trabalho muito importante para as crianças, que ajudaram a plantar as mudas, cuidaram, acompanharam o crescimento e agora fazem a colheita. Parabenizo a todos que ajudaram a tornar esse projeto real, desde a equipe do CMEI, até os pais e principalmente o senhor José, que dedicou seu tempo e fez tudo com muito amor e carinho”, disse Eliane.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1286 – 04/11/2021

VEJA TAMBÉM