Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Enfim, 2020 está ficando para trás. Ficará para sempre marcado em nossas vidas, em nossas mentes, em nossas histórias, como o ano da Pandemia do Coronavírus – o Covid 19. Quem poderia imaginar no início do ano tamanha tragédia que viria assolar o mundo inteiro! Teve dias, semanas e até meses que a terra literalmente parou. Um vírus invisível que afetou tantas pessoas, infeccionando milhões pelo mundo afora e tirando a vida de milhares. Muitos duvidaram, ridicularizaram, riram do tal do vírus, não tomando os devidos cuidados e, misteriosamente, foram por ele afetados e tantos até ceifados. Desde o seu início, minha filosofia de vida foi me cuidar e sair vivo desta pandemia. Quantas e quantas lembranças; quanto medo; quantas dúvidas e incertezas; quantas angústias; quanta dor e sofrimento; quantas famílias enlutadas com a perda de seus entes queridos, sem poder se despedir deles. Quem poderia imaginar tamanha tragédia! E o pior: apesar de tudo isso, muitos continuam a negar a trágica realidade como se tudo estivesse normal. Como explicar a atitude de um ser humano que ainda teima em ignorar e manter-se indiferente diante desta situação? Perguntas e mais perguntas, mas, felizmente, o ano está terminando e com o advento da vacina, começa a surgir no meio da humanidade, a esperança de tempos melhores. 

O que esperar do novo ano que se vislumbra em nossa frente? Com certeza, teremos as consequências econômicas, sanitárias e humanas, advindas do ano que finda. Mas, como sempre, a esperança voltará a brilhar em nossa frente. Teremos os primeiros meses muito difíceis, mas, aos poucos, com a vacina, voltaremos a ter uma vida normal. Vai demorar ainda e, por isso, a paciência, que tantos já perderam, exigirá de nós um tempo até que tudo volte a ser como já foi um dia. Infelizmente, muitos esqueceram as orientações sanitárias, deixando de lado a máscara, o distanciamento e ignorando algo básico e fundamental: lavar as mãos com frequência. O ser humano continua a demonstrar toda sua ansiedade, e, tantos, movidos pela ganância, simplesmente seguem indiferentes a essa realidade tão catastrófica. 

Pessoalmente, acredito em tempos melhores. Mas, com certeza, o mundo já não será mais o mesmo. Levaremos um tempo para finalmente desfrutarmos de uma normalidade. Muitos jamais esquecerão o drama vivido, os entes queridos perdidos para este vírus, o tempo que esperaram a cura de seus amigos e familiares, depois de dias de UTI, mas, esperando sua recuperação e volta para casa. Muitos não voltaram e não voltarão nunca mais; foram direto do hospital para o cemitério; outros foram recebidos com festa, porque venceram dias, semanas e até meses de UTI, mas que precisarão de muito tempo para se recuperar completamente. Mesmo curados, muitos nunca mais serão os mesmos. 

Prestes a dar adeus ao ano de 2020, quero desejar a todos, um feliz e abençoado 2021. A esperança é a palavra que deve mover a nossa vida. E ela, depende muito de cada um de nós. Todo cuidado se fará necessário, porque o vírus vai demorar para ir embora. Esperança que continua dependendo da nossa responsabilidade, em mantermos a distância, evitando aglomerações, com máscara em lugares públicos e mãos sendo lavadas com frequência. Esperança que caminha junto com a humildade, pois somos seres humanos frágeis, limitados, e, reconhecer esta nossa pequenez, nos ajudará a vencermos com coragem este momento delicado e tão difícil. Cuide de você mesmo, pois isso se manifestará no cuidado com o outro. Afinal, somos responsáveis pela nossa vida e pela vida de nossos irmãos. Abençoado 2021. 

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Feliz e abençoados 2022

‘O tempo passa e com ele vamos caminhando todos juntos sem parar; nossos passos pelo

Tempo de Paz

Está se aproximando o dia do Natal, do nascimento do Salvador, do Menino Deus, o

Tempo de alegria

A alegria que não brota do evangelho é meramente sentimental. Ela é passageira e movida

Tempo de deserto

João Batista, o precursor, aquele que prepara os caminhos para a vinda do Salvador, deixa