Fisiculturista mirim brilhou nos palcos do Paranaense e agora vai disputar o Brasileiro

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A história a seguir é muito especial, pertence a Isabela Furman Baja, de apenas 9 anos, uma criança apaixonada pelo fisiculturismo. E não estamos falando de uma simples fã mirim do esporte, Isabela é uma atleta da modalidade. Isso mesmo! Ela começou a treinar quando ainda era muito pequenininha, e tão logo se deu conta do seu talento, quis subir no palco e se apresentar, assim como as atletas profissionais.
O sonho virou realidade e recentemente a pequena fisiculturista foi campeã paranaense Fitness Coreográfico Infantil pela IFBB/PR e conquistou uma vaga para representar a cidade de Araucária e o estado do Paraná no Campeonato Brasileiro IFBB/BR, que será agora em setembro, em São Paulo. “Esse é o primeiro título que ela conquista, foi o primeiro campeonato que ela se sentiu preparada para participar. Até então ela só havia participado de apresentações, sem ser avaliada por juízes e árbitros”, diz o pai Marcelo Baja. Segundo ele, o fisiculturismo está presente na vida da Isabela desde que ela nasceu. “Também sou fisiculturista e a Bela sempre me acompanhou nos treinos e campeonatos, porém ela nunca praticou musculação. Iniciou em outros esportes como o balé, judô, natação, começou a fazer ginástica rítmica, faz polidance, aulas de circo, flexibilidade e também praticou aulas de surf. O esporte sempre fez parte da vida da Bela. Minha filha começou a fazer aulas de GR pela prefeitura de Araucária, até que a professora nos chamou para pedir que ela participasse da equipe de competições. Hoje ela é uma atleta que representa Araucária e está sendo preparada como profissional”, relata.
Sobre a categoria que a filha disputa no fisiculturismo, o pai explica que foi incluída dentro dos campeonatos entre as décadas de 70 e 80, para trazer as mulheres para esse esporte. “É uma categoria que não exige volume muscular, privilegia mais a plasticidade dos movimentos, a flexibilidade, a força estática, força dinâmica e a graciosidade. É uma categoria que mistura arte e dança, junto com o desenvolvimento atlético, que é o que a ginástica rítmica e as aulas de circo trazem. É exatamente este o treino que a Bela faz, ela não trabalha com pesos, focando no ganho de massa muscular e resistência, seus exercícios são baseados em leveza, graciosidade, trabalham mais a parte artística da criança. Também visam ganhar força, mas não de forma agressiva ao seu desenvolvimento”, exemplifica.
No caso da Isabela, ele diz que a pontuação funciona da seguinte forma: 70% da nota é baseada em uma coreografia artística, onde ela tem que colocar todos os pontos que são exigidos e mais as poses compulsórias para então mostrar o físico atlético, este último quesito representa apenas 30% da nota. “Nos campeonatos, ao contrário do que muitos imaginam, a colocação de um atleta é pela nota em que ele tira e não por uma comparação com os demais atletas. Neste Campeonato Paranaense, a Bela conseguiu tirar a nota máxima em todos os quesitos, por todos os juízes. Então ela se destacou muito, ao ponto de a própria Federação a convocar para representar o Paraná no Campeonato Brasileiro”, diz o pai.

Exemplo

Marcelo conta que toda a família sempre foi muito envolvida com os esportes e isso foi uma inspiração para a Isabela. “Minha esposa também faz musculação e a Bela sempre nos acompanhou nos treinos. Nós costumávamos levar ela junto conosco para a academia quando não tínhamos com quem deixá-la, aí ela ficava lá brincando no colchonete, pegando um pesinho e outro, sempre imitando os nossos movimentos, fazendo abdominais e outros exercícios. Com certeza a paixão que ela tem pelo esporte nasceu daí”, orgulha-se o pai.

Marcelo ainda faz questão de ressaltar que a filha treina em Araucária e quem desenvolveu a coreografia que ela apresentou no Paranaense foi o Estúdio Camila Costa. “A própria Camila, junto com a professora Fabi, desenvolveu a coreografia e exigiu da Bela tudo o que ela poderia dar. Nem eu acreditava que minha filha fosse conseguir fazer aqueles movimentos, mas elas confiaram no potencial de atleta da Bela, inclusive são elas que estão treinando-a para o Campeonato Brasileiro. A Ginástica Rítmica também merece ser destacada na vida da Bela, pois lhe deu um suporte muito importante”, frisou Marcelo.

Fisiculturista mirim brilhou nos palcos do Paranaense e agora vai disputar o Brasileiro
Foto – divulgação

Texto: Maurenn Bernardo


Compartilhar
PUBLICIDADE