Fisioterapeuta fala dos principais avanços e desafios da profissão

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O Dia Mundial da Fisioterapia é celebrado anualmente, desde 1996, no dia 8 de setembro. A data foi instituída em homenagem à fundação da World Confederation of Physical Therapy – WCPT (hoje “World Physiotherapy) e assinala a oportunidade de os profissionais da área demonstrarem o valor da profissão na manutenção e melhoria da mobilidade e independência funcional.
Hoje quando se fala em trabalhar com fisioterapia, muitas pessoas têm em mente a imagem do fisioterapeuta que atua na reabilitação após lesões e cirurgias. No entanto, a profissão abrange uma área muito maior do que a fisioterapia ortopédica, que muitos estão acostumados.
A Dra Tayhane Cristina Barbosa de Oliveira, da Clínica São Vicente, explica melhor esta questão. Atuando nas áreas de Fisioterapia Ortopédica, Neurológica, Cardiorrespiratória e Pilates, ela diz que o fisioterapeuta hoje está inserido em diversos campos de tratamento, como o pré-operatório e pós-operatório de cirurgias ortopédicas, neurológicas, obstétricas e cirurgias plásticas também. “O profissional possui ainda papel fundamental na prevenção da lesão com diversas técnicas, como o Pilates, para proporcionar saúde física e mental. Por tudo isso, podemos afirmar que a fisioterapia está presente em diversas áreas, como a traumato-ortopedia, fisioterapia aquática, neuropediátrica e pediátrica, neurofuncional, dermatofuncional, cardiorrespiratória, gerontologia, uroginecológica e obstétrica, fisioterapia do trabalho, desportiva, terapia intensiva, além da fisioterapia oftalmológica, que vem se expandindo”, exemplifica.
Tratamento preventivo
A médica fala também dos benefícios que a fisioterapia pode proporcionar às pessoas, sendo indicada, inclusive, como tratamento preventivo. “A fisioterapia é indicada para todas as idades, pode evitar lesões futuras e não somente quando o paciente já está acometido por alguma patologia. Tudo será devidamente e criteriosamente avaliado para que se obtenha um plano de tratamento adequado. Com a fisioterapia preventiva, ajudamos a diminuir o risco de doenças e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos nossos pacientes, trabalhando exercícios que estimulem todas as áreas cognitivas e motoras, reduzindo assim os riscos de lesões”, esclarece.
Reconhecimento
Para a Dra Tayhane, apesar de todos os avanços, a profissão ainda esbarra em um grande desafio: a falta de valorização. “O fisioterapeuta busca o respeito dentro do seu posto de trabalho, dando a orientação correta à população sobre a necessidade da fisioterapia, dos exercícios e sobre sua autonomia em prescrever o tratamento, a quantidade de sessões necessárias, bem como seguir a abordagem que melhor influenciará no tratamento de cada paciente”, diz.
A médica fez questão de lembrar que o papel do fisioterapeuta ganhou um reconhecimento maior durante a pandemia. Isso porque a atuação desses profissionais foi muito importante dentro das UTI’s e mesmo fora delas, com a reabilitação pós covid, essencial para devolver conforto aos pacientes. “Podemos dizer que a fisioterapia contribuiu grandemente no contexto da pandemia e conseguiu alguns avanços necessários para trazer maior estabilidade aos profissionais no mercado. Mas apesar disso, ainda faltam muitas melhorias para que a profissão consiga se desenvolver completamente dentro de todas as suas áreas”.
Serviço
A Dra. Tayhane Cristina Barbosa de Oliveira (CREFITO 258104F), especialista em Fisioterapia Ortopédica, Neurológica, Cardiorrespiratória e Pilates. Atende na Clínica São Vicente que fica na Rua São Vicente de Paulo, nº 250, no Centro e o telefone para contato é o (41) 3552-4000.
maurenn bernardo

Fisioterapeuta fala dos principais avanços e desafios da profissão
Fisioterapeuta fala dos principais avanços e desafios da profissão 1
Compartilhar
PUBLICIDADE