Compartilhe esta notícia

Os torcedores que esperavam outra goleada no Estádio Municipal Emílio Gunha ficaram na vontade. Afinal, além de enfrentar o Fanático, líder da chave e favorito ao título, o Grêmio Liquigás precisou encarar o desafio de jogar abaixo de chuva na tarde do último domingo, 29 de março.

Segundo o treinador Paulo Sérgio de Oliveira (Sapo), mesmo com as dificuldades, a equipe entrou em campo perseverante e abriu o jogo com duas chances claras de gol. “Só que não marcamos, e ainda tivemos uma falha justamente do nosso goleiro, que escorregou e largou a bola nos pés do centroavante adversário”, lamenta.

Com o placar em 1×0, ainda havia chance de lutar pela virada, mas o poderoso Fanático não deu moleza. “Em um contra-ataque, eles marcaram 2×0, e no início do segundo tempo já marcaram o terceiro”.

Com esse resultado, o treinador araucariense deixou a equipe mais ofensiva, mas não conseguiu o efeito esperado. “Então, como falam na gíria do futebol, ‘quem não faz, toma’. E isso acontece principalmente em jogos difíceis como esse”, reconhece Sapo, que viu sua equipe tomar sete gols. “O Thiago ainda marcou dois para ajudar a equipe, mas erramos muito no decorrer da partida por causa do gramado molhado, e isso nos prejudicou”.

De acordo com Daniel Kochmann, presidente da Liga Des­portiva de Araucária, a dificuldade do jogo já era esperada, então o Grêmio deve levantar a cabeça e aproveitar bem as partidas do returno. “O Fanático está na liderança com nove pontos, mas os outros três ainda estão embolados. Para você ter uma ideia, o Nacional que levou a goleada do Grêmio venceu neste fim de semana o Danúbio, que havia levado a melhor contra nossa equipe, ou seja, muita coisa ainda pode mudar”, garante.

O próximo jogo da equipe acontece em Curitiba no dia 12 de abril contra o Nacional.

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio