Homem que matou a mulher a facadas diz ter “esperança que Deus tenha misericórdia” dele

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Durante audiência de custódia realizada no dia 19/11, Israel de Souza dos Santos, 40 anos, que matou a esposa Izabel Spies, 42 anos, a facadas, no Jardim Primavera, disse também ser uma vítima. Sem esboçar remorso pelo crime, ele chegou a dizer que a companheira era o amor da sua vida e que todos os familiares, de ambos os lados, estão comovidos com o crime.

Israel assassinou a companheira no dia 13/11 e três dias depois (16/11), se apresentou com dois advogados na Delegacia da Mulher de Araucária. Na audiência de custódia, disse que se entregou de forma voluntária, mas desconhecia que havia um mandado de prisão expedido contra ele. Falou também que está à disposição da Justiça e que mantém a esperança de que Deus tenha misericórdia dele. Ainda na audiência, o advogado de defesa de Israel fez uma solicitação à Justiça para que seu cliente seja submetido a um exame psiquiátrico, por apresentar problemas para dormir.

Muitas testemunhas

Um dos filhos do casal, de 17 anos, prestou declarações logo após o crime e contou que viu o pai matar a mãe com diversos golpes desferidos com uma faca. Ele disse que o motivo do crime foi ciúmes. Uma das testemunhas ouvidas pelo delegado Eduardo Kruger, titular da DM, informou que mora na frente do local onde se deu o crime e que viu Israel matar Isabel. Outro vizinho também declarou que presenciou o assassinato da mulher. O irmão de Izabel, Olivir Spies Filho, prestou depoimento e disse que não presenciou o crime, mas tinha conhecimento de que o relacionamento entre o casal era conturbado.

Outra testemunha ouvida no processo, disse que soube que Israel sempre foi agressivo com Izabel, a qual pedia ajuda a sua irmã. Já a irmã da vítima, Fátima Spies Desplanches, afirmou que Israel sempre foi muito agressivo com Izabel, que ameaçava matá-la, e queimava as roupas dela.

O cunhado da vítima, Zeny Batista Desplanches, também afirmou que não tinha conhecimento sobre a vida do casal, mas sempre precisava emprestar seu cartão para Izabel fazer as compras dela, já que Israel não a ajudava. Maria de Fátima Silva, tia da vítima, confirmou a informação de que Israel era agressivo com Izabel durante o período em que conviveram.

Tentou se defender

Durante o interrogatório na DM, Israel afirmou que se defendeu das agressões iniciadas por Izabel e, após dizer isso, ficou em silêncio. Quando preso, ele também declarou que não havia sido agredido por policiais, apontando apenas escoriações na palma da mão, cotovelo e face. Ele foi encaminhado ao IML para exame de corpo delito e foi constatado que de fato não houve agressões por parte dos policiais.

Relembre o crime

O crime aconteceu na manhã de segunda-feira (13/11), na rua Itararé, esquina com a rua Antônio Cantador, no Jardim Primavera, bairro Iguaçu. Izabel Spies foi morta a facadas pelo seu companheiro Israel de Souza dos Santos. Segundo informações de testemunhas, o casal teria travado uma discussão violenta, onde o marido lhe desferiu algumas facadas, ainda dentro da casa. Ela conseguiu correr para a rua, mas foi alcançada pelo seu algoz que, de forma cruel, lhe deu mais facadas, tirando-lhe a vida. O crime foi cometido na frente de várias testemunhas.

Edição n.º 1390

Compartilhar
PUBLICIDADE